quarta-feira, 19 de setembro de 2007

O Batera

Tenho paixão por música, e dentro da música, paixão por um instrumento em especial: bateria. Acho um instrumento incrível, simples e ao mesmo tempo complexo, cujas as possibilidades de musicalidade são incríveis! Dos menores aos gigantescos kits, da acústica à eletrônica, todo o tipo de som pode ser extraído dela, que junto com o baixo, forma a "cozinha rítmica" de uma banda. Com o passar do tempo e a evolução da tecnologia, novos modelos foram surgindo, cada vez mais customizados aos bateristas, de modo que cada um possa desenvolver seu estilo sem limites de composição de peças, afinação, recursos e etc.. É claro que para a de música mais rockeira, mais pesada, isso se encaixa como uma luva, uma vez que nesse estilo estão (na minha opinião) os maiores talentos do mundo no instrumento. Entretanto, podemos encontrar também músicos excepcionais em outros estilos, como o Jazz, onde o improviso impera e há necessidade de muita técnica e domínio. Ainda não tenho uma, mas um dia terei! Enquanto isso, mostro quais são meus heróis particulares, com links em cada um deles para apresentações dos caras:


Dave Lombardo (Slayer) - É um dos bateristas que considero "bonitos de se ver tocar", pois tem uma pegada incrível e simplesmente bate sem dó, bem de acordo o Thrash porrada do Slayer. Considero bonito ve-lo tocar porque Dave tem um estilo de agitar e tocar sem olhar para as peças, mas com extrema precisão e rapidez, principalmente nas viradas, que são de matar. Além disso, Dave é um mestre dos bumblos duplos e aplica isso com maestria nas músicas do Slayer (além dos diversos projetos, paralelos ou não, de que já participou). Recentemente, Dave substituiu as pressas Lars Ulrich, do Metallica, quando este passou mal bem antes do início de um show. Dave tocou as 2 músicas iniciais e Joey Jordison (Slipknot) o restante do show.
Vídeo: http://br.youtube.com/watch?v=vQpIpy1xU74 (Solo em clínica de bateria)


Mike Portnoy (Dream Theater) - Esse eu considero um monstro tocando. Mike é detentor de uma técnica absurda, um verdadeiro talento da bateria. Para se ter uma idéia, sua maior referência é Neil Peart do Rush (esse já é uma figura consagrada e dispensa comentários). A técnica de Portnoy é, para mim, o guia do som do Dream Theater, uma vez que ele consegue unir, em meio a uma quebradeira infernal (traduzindo: seguidas mudanças de ritmo) todas as variáveis percursivas que a bateria lhe permite. Não é preciso nem mencionar que Mike utiliza um Kit monstruoso ao vivo (tal qual Neil Peart) e dá simplesmente um show a parte. Ainda mais nas longas apresentações da banda, que têm uma média de 3 horas de duração.
Vídeo: http://br.youtube.com/watch?v=TCF2Tst-ohw (Solo em clínica de bateria)


Gene Hoglan (Dark Angel) - Gene é um caso engraçado, porque literalmente podemos dizer que ele é um "grande baterista": o cara, além de alto, é bem gordo! Independente do tamanho do Kit, o tamanho de Gene não permite que ele suma atrás dele! Brincadeiras a parte, o tamanho de Gene talvez seja o seu maior trunfo, pois parece facilitar seu alcance e agilidade no instrumento. Gene ficou conhecido com o Thrash ultra violento do Dark Angel e o Death Metal ultra técnico do Death, entre outras bandas. Sua rapidez e precisão nos bumbos atrelada a sua destreza nas partes mais complexas são impressionantes e o gabaritam como um dos grandes (ops!) nomes do instrumento.
Vídeo: http://br.youtube.com/watch?v=0kgorpAvXAE (Como não encontrei vídeos de solo do Gene, coloco aqui ele ao vivo com o Dark Angel tocando a faixa "Darkness Descends/The Death of Innocence")


Igor Cavalera (Sepultura) - Em termos de Brasil, ainda está para surgir alguém que faça frente a Igor Cavalera. Sua fama foi construída junto com a do Sepultura, simplesmente a banda nacional de rock com o maior reconhecimento mundial até hoje. Vejo Igor como um Dave Lombardo brasileiro, aliando técnica e força incríveis. Responsável pelo peso percurssivo dos momentos mais "batuqueiros" do Sepultura, quando este começou a imcoporar sons regionais ao Thrash da banda (que culminou no album "Roots"), Igor sempre demonstrou uma evolução absurda a cada disco, sem perda de qualidade. Atualmente fora do Sepultura, Igor optou por se tornar DJ, mas já está retornando ao Metal em uma banda com seu irmão Max (Soulfly), ainda sem nome definido.
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=KFiy03ohCLk (Ao vivo com o Sepultura)


Nicko Mcbrain (Iron Maiden) - Nicko é batera da maior banda de Heavy Metal do planeta, o Iron Maiden, nome esse que até que não conhece patavinas de Rock conhece. Nicko, além de ótimo músico, tem algumas particularidades: não usa dois bumbos (Diz que já tem trabalho suficiente com um só), mas trabalha tão bem com apenas um que temos a impressão de que ele usa os dois! Além disso, a organização do Kit do Nicko é curiosa, pois ele usa os tons e as caixas quase na horizontal, de frente para si (ao contrário de mike Bordin, ex-Faith No More, que os usa praticamente em pé), com as peças bastante próximas. Independente disto, os anos de experiência conferiram a Nicko habilidade e precisão que são bastante úteis nas músicas do Iron Maiden, principalmente nesta recente fase mais progressiva do grupo.
Vídeo: http://br.youtube.com/watch?v=CgrquMycHGU&mode=related&search= (Vídeo Aula)


Pete Sandoval (Morbid Angel) - O Death Metal é um estilo que não exige apenas força e velocidade. Não basta apenas utilizar batidas 1x1 na velocidade da luz para ser considerado bom. Neste estilo, um dos maiores nomes é o de Pete Sandoval, coincidente baterista de uma das maiores bandas do estilo, o Morbid Angel. Em meio ao caos sonoro do grupo, Pete consegue inserir uma precisão incrível, mesclando bumbos ultra rápidos com sequências alternadas, mostrando um completo domínio do instrumento. Além disso, Pete é considerado o pai do "Blast Beat" (a citada batida 1x1 - 1 na caixa, 1 no prato de condução ou contra tempo - mas com uso dos dois bumbos simultaneamente). Por estas razões, não é a toa que Pete é considerado uma influência para muitos bateras do estilo.
Vídeo: http://br.youtube.com/watch?v=Ewo-gFtbUG4 (Ao vivo com o Morbid Angel tocando a faixa "Maze of Torment", porém com câmera exclusiva nele)

2 comentários:

Tatiana disse...

Para mim este é o cara!!!
Lars Ulrich nasceu em Gentofte na Dinamarca a 26 de Dezembro de 1963, filho de um jogador de ténis profissional - Torben Ulrich ( que também era dono de um clube de Jazz). Durante a sua infância viveu em Copenhaga e tinha como aspiração ser um jogador de ténis, tal como o seu pai. A sua primeira bateria foi-lhe dada pela avó aos 13 anos. Aos 16 anos mudou-se para os Estados Unidos, onde todos falavam da NWOBHM (New Wave of British Hewavy Metal) e queriam ter uma banda. Em 1981 num jornal, "Recycler", ele colocou um anúncio à procura de uma banda para tocar. A esse anúncio respondeu Hugh Tanner, que trouxe com ele o seu amigo James Hetfield. Nesse mesmo ano, Lars viajou para Inglaterra para ver os Diamond Head tocar, chegando até a morar com eles durante algum tempo. Bryan Slagel, disse-lhe então que estava à procura de novas bandas para gravar um album. lars ofereceu-se mas não tinha banda. Então chamou James hetfield, e os Metallica formaram-se.
Mais tarde, os dois juntaram-se com Ron McGovney e Dave Mustaine, respectivamente baixista e guitarrista. Ron McGovney mais tarde saiu da banda e foi subsituido por Cliff Burton. Porém, Mustaine causava-lhes muitos problemas devido ao exesso de álcool, e foi expulso dos Metallica, sendo substituído por Kirk Hammet, o actual guitarrista. Mustaine guardou rancor e até muito recentemente ouveram discussões entre Lars e Dave.

Tatiana disse...

Importante: leia até o final o cara é muito foda, às vezes ele peca pela sua personalidade arrogante , pois tenho que reconhecer porém tem um caráter impetuoso.

Lars Ulrich foi casado duas vezes e atualmente está com a atriz dinamarquesa Connie Nielson, com quem teve um filho em 2007, Bryce Thadeus Ulrich-Nielsen. Lars tem mais dois filhos, Myles e Layne do seu casamento anterior com Skylar.Além da musica, Lars Ulrich tem grande admiração pelas artes.Ja foi eximio colecionador de quadros de artistas famosos, estes leiloados, durante as gravações de "St.Anger".

Estas são algumas das baterias que ele já usou ele é muito foda, meu voto é para ele...

Tama StarClassic 22"x16" Kick Drums
Tama StarClassic 16"x16" Floor tom
Tama StarClassic 16"x14" Floor tom
Tama StarClassic 10"x9" Tom tom
Tama StarClassic 12"x11" Tom tom
Tama Diamond Plate Signature Snare 6.5x14
Tama Hardware
Remo Heads
Iron Cobra pedals
Easton Ahead drumsticks
Zildjian 17", 18", 19" Crashes
Zildjian 20" China trash
Zildjian 14" Dyno-Beat Hi-Hats
Zildjian 20" Custom China