sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

O Bom Senso e o Carnaval

Eu já havia lido a matéria ontem nos jornais, mas hoje pude ler mais coisas, inclusive sobre as reações a determinação da Justiça com relação ao carro alegórico da escola de samba Viradouro que retrataria o Holocausto Nazista. Mais um exemplo de que nem todo todo mundo faz uso do bom senso, pois uma coisa dessas não era nem para ser cogitada de ser feita, e muito menos precisar da Justiça (que tem mais o que fazer) para dizer que era incorerente. Li uma reportagem que dizia o carnavalesco da escola chegou às lágrimas com a decisão, sendo obrigado a desmontar o carro e reformula-lo (em tempo: foram gastos só R$ 400.000,00 na construção, segundo o Jornal O Dia). É tão difícil assim perceber que era incabível colocar na avenida, em meio a grande festividade que é o Carnaval, um carro cheio de corpos amontoados (tal qual eram os Judeus mortos nos campos de concentração durante a II Guerra) com uma pessoa caracterizada de Hitler a frente? Que mensagem se passa com isso? Como não haveria sequer uma faixa ou qualquer outro sinalizador de protesto no carro (como queria a comunidade Judaica), ficaria caracterizada a Apologia, e não o protesto. Agora pergunto: com tanta coisa no mundo para se falar, porque reviver isso dessa maneira tão inoportuna, uma vez que Carnaval nada tem haver com o assunto? Infelizmente ainda existem pessoas assim, deprovidas de sensabilidade e bom senso, apenas para não magoarem o ego e suas mentes criativas.

Nenhum comentário: