quinta-feira, 27 de março de 2008

Ignorância Não é Benção


Essa semana na faculdade, tive uma palestra sobre AIDS, que ainda é um tema, infelizmente, muito recorrente nos dias atuais, mesmo com o mundo conhecendo a doença há tanto tempo e sabendo como evitá-la. Mesmo assim, os números ainda são alarmantes e todo cuidado é pouco, principalmente numa sociedade como a nossa onde a juventude começa a se relacionar cada vez mais cedo. Entretanto, foi dada ênfase no fato de que a prevenção da doença não depende do governo, e sim de cada um de nós. Daí, me lembrei que no caso da epidemia de Dengue que assola o estado do RJ, muitos disseram o mesmo. Apesar de ter dito num dos posts abaixo que reconheço que falta educação e consciência social ao brasileiro, pergunto: mas qual seria a causa dessa lacuna no comportamento do povo. Respondo: a Educação que o Governo não dá.

Estou na reta final na faculdade, e as vezes me pego maravilhado com a quantidade de coisas que aprendi, que passei a entender, que descobri, que passei a fazer, que passei a não fazer mais, tudo em função do conhecimento adquirido. É claro que acesso a outros meios de informação também ajudou e ainda ajuda: jornais, livros, Internet, TV e etc. Resumindo: o acesso a estudo possibilita outra percepção do mundo ao redor, pois vc passa a entende-lo. E aí é que está o ponto crucial: como atribuir a população a solução ou minimização destas duas doenças, por exemplo, se a maior parte dela não tem escolas e acesso a informação? Se essa pessoa não sabe o impacto que existe em jogar uma pilha usada que ela usou em algum aparelho direto no lixo comum, como exigir que ela saiba da necesidade de um preservativo ou de não ter a caixa d'água da sua casa destampada?

É notório que nosso sistema educacional é falho, com escolas sucateadas e professores mal pagos e mal formados. Infelizmente uma criança não consegue imaginar o impacto que terá a sua vida futura sem o estudo, salvo aqueles exemplos de perseverança, que mesmo sem ele conseguiram vencer. É nessa hora que entram os pais, que devem garantir a ida do filho a escola. Mas, e se não houver uma para que ele frequente? E se ele frequenta, mas o ensino é fraco? E se os próprios pais não frequentaram uma e veêm mais importância em que a criança comece a trabalhar para auxiliar o orçamento doméstico? São tantas possibilidades negativas e uma conclusão mais ainda: uma população que cresce ignorante, sem informação, sem consciência dos seus direitos, sem possibilidades no mercado de trabalho, sem chances de upgrade social, sem entendimento político e etc. No que tange o exemplo das doenças em questão, sem o discernimento necessário para saber o que fazer ou não para ajudar e realmente fazer sua parte.

É claro que o governo sabe de tudo isso, mas conhecimento e informação levam a entendimento, e uma população com capacidade de entendimento não aceitaria nunca as coisas que vemos acontecer aqui no Brasil. Por que o índice de aprovação do governo Lula é tão alto? Porque temos uma grande parte da população pobre e miserável que ignora todas as falcatruas que acontecem em Brasília em troca do Bolsa Família. Se o governo fornecesse a estrutura de trabalho, saúde e educação a essas pessoas e elas conseguissem realmente se tornarem parte da sociedade, não aceitaram um governante assim. Mas como, se muitos só tem o que comer com esse benefício? E e aí que a coisa se perpetua, pois enquanto perdurar esta situação, o voto está garantido.

É por estas e outras que não me conformo em ouvir "Não temos de depender do governo, temos de fazer a nossa parte". Com retrato de epidemia de Dengue, violência urbana a todo vapor, caos no trânsito, sem hospitais públicos decentes, com escolas e nível de ensino precários, sem transporte público decente, somos nós do povão que vamos fazer alguma coisa? É preciso que a sociedade pensante pare de trazer para si a responsabilidade que não é sua. É bonito ficar falando isso, mas dependemos sim de um governo atuante para que a sociedade se molde as regras de conduta que ela precisa ter. Sozinhos, como estamos agora, não vamos fazer nada. Com um governo que queira fazer, as coisas acontecem. Mas quando impunidade, desreipeito as leis e corrupação prevalecem, não há camisinha ou fumacê que dê jeito.

2 comentários:

Tatiana disse...

Não existe lugar perfeito, não exite nenhum governante que pega não mão da pessoa para fazer as coisas certas. ISSO NÃO EXITE, ACORDA AQUI É VIDA REAL.
O problema está na educação sim, mas também na criação, porque hoje se um filho olha o pai jogar latinha de cerveja pelas ruas, ele vai jogar a latinha de coca-cola também. Se o filho bate no colega e fica por isso mesmo, e o pai não repreende ou procurar a saber o que houve para tal violência, vai crescer uma pessoa violenta, a porrada precisa ter na hora certa, e o diálogo nunca é demais.
Por isso que acredito sim QUE DEVEMOS TAMBÉM FAZER A NOSSA PARTE. E não ficar apenas esperando fumacê ou alguém bater na minha porta e orientar, senhora sua caixa d'água está aberta, seu vasos de plantas...
Vamos ter conciência ??????

Anônimo disse...

Concordo com o que vc falou e com o que a Tatiana falou tb, apesar de vc's "baterem de frente" aqui. Parece incoerente da minha parte, mas vejo da seguinte forma: Nossa sociedade não é homogênea, é dividida em classes (coisa que os direitistas teimam em ocultar). O que vc disse cabe perfeitamente em relação a classe pobre (ignorada compeltamente pelo governo), e o que a Tatiana citou, à classe média (que recebeu educação, cultura, informação e conhecimentos, se mínimos, pelo menos, o bastante p/ não cometerem certos erros)
Grande abraço.
Oldbanger