domingo, 15 de junho de 2008

Aprendiz 5 - O Sócio (Episódio 11)


O tempo é mágico, pois ele revela tudo. Nada consegue passar incólume a ele, e aqui não foi diferente. Bastou a situação piorar, para as mulheres voltarem a usar a tática baixa de machismo, arrogância e maus tratos. Mas vamos do início, pela prova sensacional: administração de um restaurante japonês, visando qualidade do serviço, satisfação e volume de clientes. As equipes tomaram rumos distintos na atuação e os resultados igualmente díspares, foram acompanhados pela melhor sala de reunião até agora e o ineditismo, nesta 5ª edição, de duas demissões num mesmo episódio. Pena que metade da minha aposta foi pro espaço.

Clodoaldo surpreendeu com uma liderança vitoriosa e muita bem conduzida, mesmo porque optou em contratar a equipe do restaurante pessoalmente e um a um, ao passo que Maura, liderando a outra equipe, optou em terceirizar a contratação da equipe. Resultado: ficaram na mão e quase não conseguem realizar a prova. Além disso, outros tropeços durante a execução foram complicadores e definitivos para a derrota. O mais engraçado foi observar a felicidade dos três (Maura, Henrique e Sandra) com a execução da atividade, com o senso de dever cumprido(?). Enquanto isso, Clodoaldo e o resto de sua equipe realmente conseguiram executar a tarefa sem tropeços e, por conseqüência, ganhar a prova.

A sala de reunião tinha todos os ingredientes para ser espetacular: Henrique no centro das atenções (embora já tenha tido provas em que realmente fez muita lambança) por conta do uso de palavras de baixo calão com um fornecedor que o deixara na mão na hora “H”; Maura líder de prova e derrotada e Sandra, com toda sua arrogância (apesar da competência). E mais: ambas unidas em detonar Henrique, tal qual como se ensaiou na sala anterior, onde este mesmo grupo havia perdido. Apesar disso, as chances de Maura ser demitida eram enormes, uma vez que partiu dela o equívoco de terceirizar a contratação dos funcionários do restaurante, principal causa da derrota.

A sala foi tempestuosa, com Henrique tendo de justificar seus atos no fogo cruzado imposto por Sandra e Maura, e, no início, fortemente amparado por Justus. Só que isso me pareceu uma estratégia dele em arrancar tudo das duas e ver até onde ia a verdade e o que seria apenas defesa contra uma demissão, aproveitando uma situação construída ao longo dos episódios anteriores. Digo isso porque de um ponto em diante, Roberto começou a contra argumentar as duas usando contra elas seus próprios argumentos, ao questionar se Henrique foi tão ruim, “porque não pará-lo?” e “por que escolheram ele em vez do Hugo, se sabiam de seus defeitos?”. Com isso, Henrique encontrou brechas para se defender e contra atacar nos questionamentos, e mais uma vez ele foi bem, a ponto de Roberto concordar com sua postura em peitar o fornecedor que o abandonou, porém sem usar das mesmas palavras. Com isso, delineou-se o que estava por vir, apesar da decisão de Justus de poupar Sandra, colocando a escolha entre Henrique e Maura: estava claro que a segunda seria a eliminada, pois teve a liderança comprometida e não soube se defender suficientemente bem.

Apesar da divisão entre os conselheiros em quem deveria sair, Justus optou em continuar com Henrique e demitiu Maura. E aí veio aquilo que ninguém esperava: Sandra disse que se ele optasse em ficar com Henrique, ela também sairia. Ela, num arroubo de arrogância, contestou a decisão de Justus; ele, num arroubo de fúria, demitiu-a também. A decisão foi certíssima e pôs em ordem (coincidência ou não) a saída de aprendizes do programa, uma vez que na prova do Exército ninguém fora demitido. Uma pena, pois se tivesse ficado calada, Sandra continuaria no programa e com certeza chegaria na final (como eu achava que iria). Além disso, a burrice de seu nobre gesto seria infrutífera de qualquer modo, pois o programa não contrata equipes, mas apenas um dos dezesseis candidatos. A menos que fossem juntas para afinal, uma daria adeus à outra mais cedo ou mais tarde.

Henrique saiu muito, mas muito fortalecido desse episódio, pois claramente caiu nas graças de Roberto e, a menos que seja muito burro e cometa uma grande besteira, ganhará o programa. Colocando a cabeça no lugar como fez até agora, se dará bem. Quanto ao outro finalista (agora só restam 5 competidores, todos homens), não tenho idéia de quem possa ser, agora que Sandra está fora. Acho todos fracos, embora Clodoaldo tenha se destacado positivamente com esta vitória e a bela liderança. Vamos ver.

Um comentário:

Anônimo disse...

Pô Márcio, nem sabia que vc curtia tanto esse programa assim! O Justus bem que podia te contratar p/ atualizar o site do programa com esses textos e comentários!!rsssssssssssss Vc simplesmente faz um resumo rico dos episódios!!rs
Abração!
Dirceu.