terça-feira, 12 de agosto de 2008

Era Uma Vez Democracia...


Pode parecer loucura, mas adoro época de eleição. Sei que já dei a entender que detesto política e políticos, mas se depois da eleição o brasileiro sempre se ferra, antes dela ele se diverte. Tal qual ratos de um bueiro em dia de enchente (olha que analogia sensacional!), em época de eleição vemos sair, do nada, políticos há muito desaparecidos, nomes que nem lembrávamos, pessoas que sequer sabíamos que ainda existiam e pior, que ainda vem pedir o seu voto! O mais incrível é que, após surgir do nada, onde não estavam fazendo absolutamente nada, aparecem criticando a tudo e a todos pelas mesmas coisas que eles nunca cumpriram, e de quebra com todas as soluções para todos os problemas. A demanda de gente boa que vai resolver o meu, o seu, o nosso problema é tanta que ficamos na dúvida em quem merece mais o nosso voto!

Me impressiona como o ritual sempre se repete, e o povo não se cansa disso, não dando um basta. Ainda sou a favor de que ninguém fosse votar no dia da eleição, só para ver o que ia acontecer. É claro que aqui é Brasil, e se daria um jeito de fazer valer a eleição de qualquer modo, mas pelo menos a população teria dado seu recado. Nosso sistema eleitoral é tão bagunçado, mas tão bagunçado que não me recordo aonde, mas em uma localidade neste Brasil, largada ao Deus dará, ninguém precisaria votar porque só haverá um único candidato a prefeito, e bastará o voto do próprio para que ele ganhe a eleição... Em outra região, soube de uma história há pouco tempo em que um vereador ou deputado (não lembro) assumiu o cargo sem ter tido um único voto sequer... Distorções como essas só são possíveis em país que se preocupa mais em ter um sistema informatizado de ponta para validar mais rapidamente a farsa eleitoral do que uma legislação coerente que legitime todo o processo democrático. Some-se a isso um povo sem memória e consciência de sua cidadania, voto de cabresto (sim, ele ainda existe), candidatos com ficha criminal e temos a Democracia (?) Brasileira.

Mas a diversão de que falei acima, em meio a essa pouca vergonha já tradicional, vem na forma do horário eleitoral. É claro que se fossemos um país sério, jamais isso aconteceria, de fato teríamos candidatos sérios para avaliar, e não os humoristas que volta e maia surgem na telinha (se alguém ainda consegue duvidar disso, basta assistir ao vídeo abaixo, simplesmente lamentável...). Entretanto, como nada muda, só nos resta rir. E agora, a diversão ainda aumentou, pois também é hilário assistir aos políticos em campanha, aqui no Rio de Janeiro, tentando acessar ao (esquecido) povo morador das favelas sem conseguir, pois agora os traficantes e milicianos criaram currais eleitorais, onde só os seus candidatos podem ter acesso. É imoral, é vergonhoso, é ridículo, mas não deixa de ser engraçado ver os caras reféns da criminalidade que eles mesmos, apesar de sempre prometerem, nunca efetivamente combateram. É impressionante ver as autoridades indignadas com estes fatos, enquanto os candidatos são convidados “gentilmente” a ser retirarem das comunidades. Sinceramente, não sei onde vamos chegar...

A verdade é que as eleições estão apenas começando, e ainda tem muita baboseira para rolar. No meio disso tudo, os sensacionais debates na TV são simplesmente imperdíveis, uma vez que a lavação de roupa suja atinge limites estratosféricos. Isto até alguém perder e começarem as coligações entre as dezenas de partidos que nós temos – outro disparate da nossa “Democracia” – onde os inimigos de ontem, são os melhores amigos de amanhã... E ainda dizem para escolhermos com cuidado... VOTO NULO NELES!!!


Nenhum comentário: