segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Vídeo resumo de 2007: Cris Nicolotti "Eu Falei Que Isso Ia Dar Merda"

Autora do mega Hit "Vai Tomar no Cú", Cris Nicolotti termina 2007 com um novo sucesso que faz a exata síntese do que foi o ano que se finda. "Eu Falei Que Isso Ia Dar Merda" resume o que aquele monte de Pais de Santo, Astrólogos, Numerólogos sempre fazem no fim de ano, que é dizer que acertaram o que previram no fim do ano passado e fazerem novas previsões para o ano que surge. Em vez disso, Cris sai na frente e resume tudo numa única frase, tendo 100% de acerto. O pior tudo é que pode valer também para 2008...

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Sonho de Roqueiro

Eles podem não admitir, dizendo que o sonho de todo o roqueiro é fazer sucesso com a música, festas, mulheres, bebida, quebrar quartos de hotel e etc. Mas, no fundo no fundo, todos eles querem ter um avião particular. Os mais modestos, um jatinho; os mais afortunados, um boing pilotado pelo próprio vocalista da banda... É isso mesmo: o Iron Maiden, ao iniciar a sua "Somewhere Back in Time World Tour 2008" vai viajar pelo mundo no brinquedinho acima, personalizado e pilotado pelo prórprio Bruce Dickinson (que é piloto comercial mesmo).
Em tempo: no "brinquedinho", além da banda, vão toda a equipe e mais toda a parafernália de palco que, cá entre nós, não é pouca não...

Espírito do Natal Brasileiro...

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Vídeo da Semana: Batman - The Dark Knight Trailer HD

Dessa vez, nada de música: "Batman - The Dark Night" promete ser um dos grandes filmes de 2008 e esse trailer prova isso. O Coringa está simplesmente assustador (que em nada lembra o divertido Coringa de Jack Nicholson no 1º Batman) e as cenas de ação parecem ser sensacionais. Isso sem falar no novo "brinquedo" do Batman, uma moto tão ignorante de bruta quanto o Batmóvel, que volta a aparecer.
Imperdível!!!!

Essa é "a" Cara: Fernanda Abreu


Recentemente falei aqui sobre o Gabriel O Pensador, um cara que eu admiro muito e que anda meio apagado. Entretanto, só para lembrar, quando falo "apagado", falo de distância dos holofotes da mídia, uma vez que a carreira continua. É o que eu disse, perde-se tempo com Perla, Kelly Key e Latino, em vez de coisas que realmente tem valor... Nessa mesma linha de desperdício de talento temos Fernanda Abreu, cuja carreira acompanho desde o início e que é muito legal. Seu trabalho sempre foi calcado em cima da Dance Music, desde seu primeiro disco ("Sla Radical Dance Disco Club", 1990), numa época em que o estilo ainda não tinha representantes brasileiros. A aposta deu certo e desde então Fernanda incorporou novos elementos ao seu som, como o Funk, o Samba, tudo reforçado com apelo Carioca/Brasileiro nas letras. Esse, ao meu ver, é o seu único defeito: há um excesso de "carioquice" da parte dela. O dia que ela resolver abordar outros temas em sua letras, vai ficar melhor ainda.


Apesar de já haver assistido Gabriel duas vezes ao vivo, não tive a mesma sorte com a Fernanda. Para compensar, comprei ontem seu DVD "MTV ao Vivo", com o show realizado em 2006 no Teatro Carlos Gomes, no Centro do Rio de Janeiro. Só posso dizer que o show me surpreendeu, pois é muito bom. Com repertório calcado nos sucessos, o show repassa toda a carreira dela, apoiado numa banda super competente e com particpações especiais de gente de peso como Herbert Viana e DJ Malboro (do qual NÃO sou fã, mas como seu trabalho é diretamente ligado ao Funk, ele tá lá...). Pena que o DVD só vem com o Show (cerca de 1h30 de duração) e uma entrevista de 10 minutos (grande dúvida: será que é tão caro assim colocar mais alguma coisa num DVD, que tem uma capacidade absurda?). Apesar dos pesares, é uma ótima opção para quem quer ver um show legal de música nacional, já que a nossa cena anda tão deteriorada.



Site Oficial
Discografia:
"Sla Radical Dance Disco Club" (1990)
"Sla 2 Be Sample" (1992)
"Da Lata" (1995)
"Raio X" (1997)
"Entidade Urbana" (2000)
"Na Paz" (2004)
"MTV Ao Vivo" (2006 -CD/DVD)

Pobre Rebeca...


segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Só Rindo Mesmo... CPMF (R.I.P.)



No post abaixo me limitei a colocar para fora toda minha ira contra este imposto escroto, mas agora gostaria de falar mais conscientemente, focando nos detalhes absurdos que envolvem esta novela da CPMF. Lendo, assistindo jornais e vendo o comentário de especialistas sobre o assunto, ficou mais claro ainda para mim que nunca na história desse país (zzzzzzz...) vimos um governo tão atrapalhado e cara de pau como esse do Lula, pois consegue fazer as maiores imbecilidades e ainda consegue dizer que está tudo bem (!) e que nada aconteceu (!!). Para quem não sabe, o governo sabia que tinha até o fim do ano para (re)aprovar a CPMF, mantendo-a até 2011 (e o imposto era provisório...) e que ainda tinha de barganhar com a oposição e conseguir aprová-lo. E aí começa o primeiro fato hilário: tinha maioria na câmara (dos deputados), mas mesmo assim abriu as pernas para as exigências feitas (Eduardo Cunha (RJ) na presidência de Furnas foi uma delas. Quem conhece essa figura sabe que ele nunca conseguiu ser prefeito do Rio, que dirá presidente de alguma coisa); não tinha maioria no Senado, mas não sei de onde cismou que teria vitória esmagadora. Resumo: perderam e o imposto foi extinto.
Vamos aos fatos curiosos:

1) Dias antes da votação, Lula pregava o maior terror psicológico do mundo, dizendo que o fim do imposto derrubaria as contas do país, que quem desejava o fim do imposto era sonegador (como se nós contribuintes, pagássemos isso de bom grado) e que a oposição era irresponsável e etc. Depois que perdeu, não para de afirmar que o país não vai para de crescer, de melhorar e etc. (zzzzzzzzzzzz...)
2) Momentos antes da votação, entregou uma carta no Senado prometendo utilizar TODA a CPMF na Saúde: ora bolas, se o imposto era para a Saúde, por que prometer isso? Simplesmente porque ele era usado para a tudo, menos para a Saúde!!! Agora o "X" da questão: tudo o quê?
3) O Governo está (re)fazendo as contas como se fosse um grande desafio descobrir onde cortar custos. Todo mundo sabe que Lula é responsável, junto com o PT, pelo maior inchaço da máquina pública nos últimos anos, sob a alegação de que "se temos de prestar um melhor serviço à nação, não há outro meio senão contratanto mais gente" (deve ser este o motivo de quase 40 ministros...)
4) Existe reencarnação? Para a CPMF provavelmente sim, pois ela pode voltar em outro corpo, ou melhor na forma de um outro imposto... Isso é para quem acha que os motivos da sua derrubada foram simplesmente de aliviar o peso dos ombros do contribuinte... Pode ser uma questão de tempo que essa proposta surja, mas não agora, pois seu impacto seria deveras negativo perante a população, que teve sua atenção chamada para os impactos do imposto pelos meios de comunicação e polo próprio estardalhaço das negociações. Entretanto, sua saída de cena será suficiente para desarmar Lula como avalista da candidatura (do PT ou por ele apoiada) de sua sucessão, uma vez que, com menos recursos, ele vai precisar frear em muito suas obras assistencialistas e que são a base de seu governo populista.
5) Para fechar com chave de ouro, o ministro da Fazenda não esperou nem o corpo esfriar para dizer que o novo imposto vem aí. Tomou um belo esporro do patrão (que para variar não sabia que ele ia até a imprensa para falar besteira), sendo desmentido em rede nacional. São essas pessoas que dirigem essa nação...
Em suma: nada é o que parece, nem é definitivo. A certeza é que temos um lixo de governo, um lixo de representantes, um lixo de constituição. Pensando bem, de serviço público, acho que só a Comlub é que tem muito o que fazer neste país...

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

E a CPMF se Foi...

É inexplicável como certas coisas acontecem na nossa política, onde o imprevisível surge atropelando e o óbvio simplesmente não acontece. Não deixa de ser uma ótima notícia o fim desse imposto nefasto, feito para ser provisório mas que quase se torna permanente. Não sei qual o preço que pagaremos por esse acontecimento, nem sei se foram nobres os motivos daqueles senadores que a extinguiram, mas que é um avanço, isso é. Não ter que ficar regulando aquela miséria que deve ficar na conta toda a vez que se faz um saque (e que no fim das contas representa um rombo em nossos míseros orçamentos) é o mínimo que esses governantes de merda poderia ter feito por nós, pobres contribuintes, já tão sobrecarregados pela nossa imensa massa tributária.
Um a coisa é certa: mais uma vez o andamento e desfecho da história é vergonhoso para a nossa nação (nossa não, de vocês, porque eu não sou brasileiro) que dá ao mundo mostras de como NÃO se deve governar um país. Incompetência, burrice, cara de pau, roubalheira, acordões, promessas de poder e hipocrisia são alguns dos atributos dos políticos desta josta de país.
Fico feliz que mais uma vez este presidente imbecil e arrogante se deu mal, e vai ter de dar um jeito de administrar esta pocilga com o dinheiro que tem nas mãos (que não é pouco, mas que segundo ele é insuficiente, e que na verdade é muito mal gasto). Basta ele dispensar a cambada do PT que esta alocada em todos os cantos do governo, sem fazer nada e mamando nas tetas e sugando o dinheiro público. Afinal de contas, para que um presidente precisa de quase 40 ministros? Só se for para contar o dinheiro da CPMF...

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Vídeo da Semana: PItty "Pulsos"

Engraçado: eu ainda não havia colocado nenhum vídeo nacional aqui... Bom, não sou adolescente, acho o rock nacional atual muito fraco, mas bato palmas para o trabalho da Pitty. Não que seja algo maravilhoso ou inovador, mas ganha de lavada dessas "bandecas" como Detonautas e CPM22 (putz...), pois mostra um rock legal com boas melodias e até uns riffs de guitarra mais ganchudos e pesados. Essa música é nova e aparece no novo DVD ao vivo dela, "(Des)Concerto ao Vivo". Mais uma com ritmo maneiro e um refrão legal, que com certeza vai emplacar nas rádios.

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Eu Preciso Ver Mais Televisão!!!

Por esses dias me dei conta de que gosto muito de séries, mas de um jeito diferente: gosto de acompanhá-las em DVD, e não em tempo real na TV. Com certeza serei chamado de acomodado, e é isso mesmo. Em DVD, posso ver tudo numa tacada só, ao passo que na televisão estamos sujeitos a um episódio por semana, quinzena, ou até mesmo aos meses que separam uma temporada da outra. Mas isso também tem o seu revés: é muita informação para se absorver de uma vez só. Um bom exemplo é o Friends. Cada temporada teve 4 discos, com cada um deles com uma média de duração de 150 minutos. São 600 minutos por temporada, somando 6000 minutos nas dez juntas. Isso representa nada mais, nada menos de 100 horas ou pouco mais de 4 dias inteiros assistindo, sem parar para nada, as aventuras dos 6 amigos. Detalhe: isso numa série cujo foco era o humor, sem mistérios, tramas secretas, assassinos misteriosos e outras coisas mais que te deixam desesperado para saber como termina...
E é aí que reside o meu problema: eu tenho, atualmente, coisa demais para assistir! Quer ver? Saca só:

Friends – Estou na décima temporada, pois havia resolvido assistir tudo de novo quando acabei pela 1ª vez;

Lost – Estou no meio da 2ª temporada (que já sei como termina! Essa é outra vantagem: as coisas já aconteceram e a amiga Internet te conta tudo!). Como na TV já está passando a 4ª temporada e o box da 3ª já saiu, meu problema com este aqui está longe do fim;

Prison Break – A única que estou acompanhando em DVD, mas em tempo real com a TV, graças a Internet. Acabei de assitir ao 8º episódio da 3ª temporada e estou curioso pacas para saber o restante da estória;

Arquivo X – Isso mesmo, você não leu errado não. A série acabou em 2002 depois de 9 temporadas, mas graças aos DVD´s separados que estavam saindo (1ª e 2ª temporadas apenas) nas bancas de jornal, a preço de banana, comecei a assistir para valer. Já havia visto alguns episódios na TV aberta, mas não dei tanta atenção. Mas agora, vendo com calma, achei muito, mas muito legal mesmo. Só quero ver onde vou arrumar grana para comprar o resto...;

Mr Monk – Passa na TV aberta, mas muito tarde (meia noite, mais ou menos). É engraçada e inteligente, e como consegui na Internet a 1ª e 2ª temporadas (ainda incompletas), é mais uma para assistir.

Mas a coisa não para por aí...

C.S.I. Las Vegas (Criminal Scene Investigation) – Uma das séries mais inteligentes da atualidade, e é a única que eu acompanho direto da TV (aberta) . A solução dos crimes é impressionante e prende a atenção do início ao fim. Não sei quais as temporadas já foram exibidas, mas o problema é que a série se encontra na sexta temporada lá fora (só de sacanagem: cada temporada tem entre 23 e 24 episódios, com duração de 45 minutos cada!), o que significa que ainda há muito para assistir... Outro detalhe: ainda tem a CSI Miami, mas que não tem a mesma química que os personagens de Lãs Vegas têm.

Ah se eu fosse vagabundo (com dinheiro, é lógico!)...

Tomara que Ele Não Consiga!


segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Mais Timão na Segundona! (2)


Mais Timão na Segundona!

O Corinthians agora tem um patrocínio duplo, com a TIM e o portal Terra.
Estampará na camisa a palavra TIMTerra...
*****
Frase da semana:
"Corinthians um time à frente de seu tempo. No domingo já estava na segunda".
*****
A VW vai lançar um novo modelo do Gol, o Gol CURÍNTIA.
Já vem rebaixado!
*****
Toca o telefone na sede do Corinthians.
- Alô, é do Corinthians?
- Sim! - respondeu a telefonista, mas em seguida veio o sinal característico: "to, to, to, to, to"...
E o que ligou:
- Caiu!
*****
FILHO: Pai, por que o senhor sempre fala que eu tenho que ser corintiano?
PAI: Porque o Corinthians é o melhor time do mundo, filho. É o Timão!
FILHO: Mas o Corinthians não foi rebaixado para a segunda divisão? E o apelido Timão não é porque no símbolo do Corinthians tem um timão de navio?
PAI: Bem, é verdade. Mas nós só fomos rebaixados por causa de uma parceria com um fundo de investimentos chamado MSI que desgraçou o Corinthians.
FILHO: Mas não foi essa MSI que comprou o Tevez, o STJD e o Márcio Rezende de Freitas para garantir o título nacional de 2005 que na verdade foi conquistado pelo Internacional?
PAI: Foi, mas depois....AH, isso não importa, filho. Nós somos a maior torcida de São Paulo e a segunda maior do Brasil.
FILHO: Isso é legal né pai!? Mas a Índia e a China são os países mais populosos do mundo e jamais ganharam uma Copa; e a Itália, que é um país pequeno e com menos torcida, já tem quatro mundiais não é!?
PAI: É filho, tá certo, porra!!!
FILHO : Calma pai, o senhor está bravo só porque o Corinthians não é nada disso que o senhor pensava?
PAI: Pára com isso, filho! Nós já fomos campeões mundiais!!!
FILHO: Sério!? Quando?
PAI: Em 2000.
FILHO: Que legal, então nós também ganhamos a Libertadores em 1999?
PAI: Não, na verdade quem ganhou a Libertadores em 1999 foi o Palmeiras. Você não sabe que nós NUNCA vencemos uma Libertadores em mais de 90 anos de história!?
FILHO: Ué, então porque o Corinthians jogou esse Mundial em 2000?
PAI: Ah! É que fomos convidados para jogar porque ganhamos o Brasileirão em 1998 e tínhamos o apoio de um grupo de investidores estrangeiros que precisava botar o Corinthians lá. O Vasco ganhou a Libertadores de 1998 e também foi chamado.
FILHO: Entendi. Então na Europa chamaram o campeão da Liga dos Campeões de 1998?
PAI: Sim, mas também chamaram o Manchester, que venceu a Liga em 1999.
FILHO: Então por que não chamaram o Palmeiras?
PAI: Não sei filho, mas que merda!!!!
FILHO: Então esse torneio não foi sério. Não teve critério para as escolhas dos clubes! Mas o Corinthians ganhou do Manchester e do Real Madrid né pai?
PAI: Não. Na verdade ganhamos do perigoso Raja Casablanca com um gol roubado em que a bola não entrou, empatamos com o Real Madrid, no Morumbi, graças ao Anelka que perdeu um pênalti e depois "goleamos" o poderoso Al Nasser por 2 a 0.
FILHO: E na final ganhamos de quem?
PAI: Na verdade não ganhamos. Empatamos com o Vasco por 0 a 0 no Maracanã e o "título" veio nos pênaltis.
FILHO: Quem foi o herói corintiano que fez o gol do título?
PAI: Ninguém. Na verdade o Edmundo chutou pra fora e nós ganhamos.
FILHO: Mas esse ano comemoramos 30 anos do título de 1977. Que campeonato foi esse tão importante?
PAI: Foi o Campeonato Paulista. Saímos de uma fila de 22 anos sem título com gol de Basílio contra a fantástica Ponte Preta.
FILHO: Ah, sei. Mas não foi nesse jogo que o Rui Rei, artilheiro da Ponte, se vendeu e foi expulso logo no começo do jogo só pra não fazer gols e assim ajudar o Corinthians?
PAI: Foi seu filho da puta, mas e daí!?
FILHO: Mas pai: esse ano o São Paulo completou 30 anos do primeiro título brasileiro que conquistou e ao invés de festa e camiseta comemorativa, ganhou mais um e agora eles são penta.
PAI: Azar, filho! Eles são Bambis!!!!
FILHO: São, pai? Mas eles me dizem que são penta Brasileiro, tri da Libertadores e tri Mundial. É verdade?
PAI: É verdade, filho! (de cabeça baixa)
FILHO: É verdade também que se não fosse um tal de Grafite, atacante do São Paulo, nós teríamos sido rebaixados também no Paulistão?
PAI: Você não quer falar de Fórmula 1!?
FILHO: Tá bom pai. Mas o Rubinho não é corintiano?
PAI: É, moleque!
FILHO : Vixe pai!!! O Rubinho é corintiano e o melhor piloto brasileiro da atualidade, o Felipe Massa, é são-paulino. Vamos falar de futebol mesmo, vai.
PAI: Calma lá!!! Mas o Senna era corintiano, filhão!!
FILHO: Eu sei pai. Já me falaram isso. E me contaram que como corintiano ele não agüentou. Em 1993, viu o São Paulo conquistar o bi mundial e o Palmeiras sair da fila em cima do Corinthians, aí percebeu que não adiantava torcer pra esse time e enfiou o carro no muro.
PAI: (APENAS SUSPIRA)
FILHO: Calma, paizinho. Vamos passear, me leva no estádio do Corinthians.
PAI: (chorando) Não temos estádio! Temos uma chácara que apelidamos de fazendinha e que é menor do que qualquer ginásio da NBA.
FILHO: Chega pai! Assim não dá. Não temos estádio, não temos time, nosso título mais comemorado é um paulistão roubado, o nosso quarto título brasileiro foi mais roubado ainda, somos o único clube grande de São Paulo que não tem Libertadores, a nossa torcida é a segunda do país e de nada adiantou, torcida do São Caetano é mil vezes menor e já viu o time numa final de Libertadores, nosso título mundial é uma fraude, o maior ídolo da nossa torcida no século XXI é argentino e nós
estamos na segunda divisão, e você ainda quer que eu seja corintiano. Você é um fanfarrão, pai!!!!!
PAI: (um minuto de silêncio)
FILHO: Mãe, pode ficar tranquila, se o pai sabe de tudo isso e ainda torce pro Corinthians é porque ele gosta de ser enganado e nem desconfia que eu sou filho do vizinho...

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

A Mesma Coisa de Sempre!


Final do ano chegando, ruas cheias de gente, trânsito mais complicado do que nunca, colégios, universidades e orgãos públicos entrando em recesso de férias, corrida para a compra de presentes, amigo oculto nas empresas e nas famílias, bandidagem mais frenética do que nunca na rua, 13º terceiro e etc. Reparou como quanta coisa se repete a cada fim de ano? Esses ciclos se repetem, onde algumas coisas são boas, outras ruins, algumas melhoram, outras pioram.
Na minha opinião, do jeito que levamos a vida hoje, era mais do que imprescindível aproveitarmos melhor esta época do ano. A razão? Muitas, cada qual do seu modo. A primeira coisa: fim de ano representa uma rotina diferente, menos cáustica e corrida que a rotina usual. Todo mundo diminiui seu ritmo (inclusive empresas), uma vez que isso já está enraizado na nossa cultura (não é verdade que todos dizem que o ano acaba no Natal e só se reinicia após o Carnaval?). Nesse período, o que todos deveriam fazer é parar um pouco e tentar se programar para o ano seguinte. Não falo de promessas prontas para não serem cumpridas do tipo "ano que vem começo meu regime" ou "ano que vou economizar", mas de um planejamento efetivo de vida. As pessoas em geral não têm o hábito de pensarem em suas vidas nos próximos 2, 3 , 5 anos, por exemplo. Não pensam no que podem começar a fazer agora e que pode lhes facilitar, mais a frente, no alcance de um objetivo - e isso aplica-se também a vida profissional. Pegar uma situação real ajuda: imagine o dinheiro que vc gasta futilmente e sem controle hoje, achando que ele não lhe fará falta amanhã ou um bom curso de aperfeiçoamento que vc deixa de fazer, mas que pode lhe custar uma promoção e etc.
Por conta disso, as pessoas não enxergam as festas de fim de ano como um momento de celebrar suas conquistas (mesmo aquelas não planejadas). Na vida profissional, festas em empresas significam, em sua grande maioria, a libertação de toda a carga de trabalho do ano, coroada com um período de descanso, acrescida do tão esperado 13º salário. A festa da empresa é a oportunidade de comer e beber de graça, sair com aquele/aquela colega de paquera, mas com o preço de ter que desejar boas festas a quem se detesta. A confraternização mesmo, inexiste... Na vida pessoal, o problema é o consumismo, que deturpa já há muito tempo o significado do Natal. E isso é uma pena, pois vivemos uma realidade tão caótica, turbulenta, agitada, violenta e tão urgente que nos esquecemos do por quê daquela mesa, daquela data e que o mais importante não é o presente. Uma família reunida, feliz, saudável e próspera vale mais do que isso, mas nem sempre isso é percebido.
Incrível também é que antes do Natal, já se fala em Carnaval. Talvez seja essa uma das razões para que o progresso nunca nos alcance. Não que eu não goste de Carnaval, ou pelo menos dos 5 dias de descanso que ele representa, já que não gosto de Samba. Não seria hipócrita a esse ponto, mas é impressionante como o fim do ano, para muitos, serve apenas como trampolim para o Carnaval. Talvez este seja o ópio do povo, mas a verdade que ele também é a amarra que o mantêm subserviente (mas isso já é outro assunto). O ponto é que em vez de pensar na oportunidade de evoluir, pensa-se na fantasia, na ala e no desfile.
É por essas e outras que não desejo simplesmente a todos que por aqui passarem, "Um Feliz Natal" e "Próspero Ano Novo". Desejo isso e que todos sejam capazes de observarem a si próprios e suas vidas. Observarem as coisas que podem fazer para melhorar e evoluir, tanto a si mesmos, como famílias, amigos, cachorro, papagaio e quem mais lhe for querido. Tentar fazer da sua vida a melhor possível é colaborar para que tenhamos uma sociedade melhor, mais próspera, segura, rica (sim, isso é possível!) e boa de se habitar. O que será de 2008? Eu já sei bem como quero que o meu seja...

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Cartaz e Fotos: Batman The Dark Night

Em 2008 nos cinemas!




Vídeo da Semana: Tone Loc "Funky Cold Medina"

Esse cara aqui é uma figuraça, daqueles que só de olhar para a cara dele já dá vontade de rir. Tone Loc fez muito sucesso com essa música (inclusive no Brasil), que aparece no seu disco de estréia "Loc´ed After Dark", de 1989. Além desse, "Wild Thing", também fez muito sucesso e é talvez até mais famosa do que essa aqui, graças ao famoso sample com virada de bateria e o refrão bacana. Entretanto, o vídeo de "Funky Cold Medina" é hilário, bem como a letra da música, que narra a saga de nosso amigo com uma poção mágica para fazer sucesso com a mulherada. Só que para isso acontecer, várias coisas dão errado... Somado a isso, a música é espetacular e tem uma batida muito maneira, bem característica do rap americano das décadas de 80/90, bem diferentes dos pesos pesados de hoje. Vale citar também que, além de cantor, Tone Loc também tem uma carreira no cinema que dura até hoje. Em termos de comédia, vale a pena dar um checada em "Ace Ventura: Pet Detective", onde ele atua com o igualmente pancada Jim Carrey.
Em tempo: prestem atenção no equipamento do DJ...

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Terra do Meio - Brasil Invisível (Bom Dia Brasil)

Hoje tive a oportunidade de ver, no Bom Dia Brasil da Rede Globo (seu melhor Tele Jornal, ao lado do Jornal da Globo), uma reportagem interessantíssima sobre a Amazônia que ninguém conhece. É claro que todos nós, principalmente mais ao Sul do País, não conhecemos nada da Amazônia, tirando o pouco que se vê na televisão. Trata-se de uma série de reportagens que passarão a cada dia no Jornal, sendo que hoje pela manhã foi a primeira. Nela, foi mostrada a vida das populações ribeirinhas do Rio Xingu no Pará. Você sabe o que é viver no meio do mato, sem nada? Sabe o que é ter 70 anos de vida e nunca ter visto televisão? E pior: ser feliz? No meio dessa dependência tecnológica absurda em que vivemos hoje, em que nem banho frio se toma mais, existem pessoas que vive em total harmonia e depedência da natureza. Roupa lavado no rio, mato para todo o lado, compra de alimentos por escambo (sim, eles não usam dinheiro!), não ter nenhum documento (eles não existem para o país!), numa mistura fantástica de cultura da roça com cultura indígena.
Só vendo mesmo para crer: Depoimento Francisco Feitosa

Abaixo, segue o link do blog criado para a série. Vale a pena checar na rede e na TV:
Terra do Meio - Brasil Invisível

Brasileirão 2007: Eu vi!

Pois é rapaziada, o Campeonato Brasileiro terminou ontem. Nunca fui muito ligado em acompanhar futebol, sempre gostei mais de jogar - apesar de anos parado e de ser um belo perna de pau. Entretanto, de uns tempos para cá passei a ter um pouco mais de interesse. Vai ver que tenho uma fascinação mórbida por me aborrecer, pois o futebol brasileiro, tal qual a política, dificilmente me dão alegrias. Pode até haver quem tenha alegrias com ele (a torcida do Penta São Paulo que o diga), mas, de um modo geral, nosso futebol anda mal das pernas faz tempo. Não é de hoje que não acredito nesse negócio de "melhor futebol do mundo": um craque ou outro (que acabam indo jogar lá fora) não são suficientes para generalizar tantos clubes e a (péssima) infra estrutura que nós temos.

Voltando ao Brasileirão, acompanhei alguns jogos e, invariavelmente, me aborreci na maioria deles. Falando sério: alguns pareciam aqueles jogos de várzea vagabundos, daqueles que nem juiz tem. Um show de passes errados, falta de técnica, falta de visão de jogo e o pior, falta de pontaria. Talvez eu seja muito crítico ou então não entenda nada de Futebol, mas acredito que eu não estou errado de todo. Para confirmar minha análise, parei outro dia para assistir um jogo do Milan (aquele em que o Ronaldo Fenômeno voltou a jogar, não lembro contra quem) e pude confirmar que o futebol italiano, é mil vezes mais bonito de se ver: jogo ágil, passes certeiros, tabelinhas, tudo em favor do espetáculo. Só não sei porque não adimitem isso aqui.

Outro detalhe é a infra estrutura: para quem tem a ambição de sediar um copa daqui a 7 anos, deveriamos ter estádios melhores. O caso da Fonte Nova na Bahia, com um desabamento resultando em 7 mortes, mostra bem em que ponto estamos. Vendo os jogos do Brasileirão, vemos que os gramados estão no mesmo nível do futebol apresentado... Isso sem falar em segurança, onde assistir determinados jogos se torna uma verdadeira batalha (Flamengo e Vasco que o digam...).

Apesar dos pesares, achei legal acompanhar a dinâmica do torneio com pontos corridos, onde cada rodada é uma emoção diferente, com prognósticos mil e mesas redondas inflamadas, analisando os lances. Acho que ano que vem vou me aprofundar mais. Quem sabe eu passo até a saber o nome dos jogadores do meu time, porque nem isso eu sei!!!

PS: Eu não poderia encerrar este post sem uma homenagem ao novo time "Tela Quente" (só passa na Segunda): Corinthians!!!!!!!!!!!!!

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Esse Também é o Cara: Gabriel O Pensador

Taí um cara que eu admiro e reparei que infelizmente anda meio sumido... Mexendo nos meus CD´s outro dia, achei os discos dele e me toquei disso. Já faz um bom tempo que não o vejo na TV e nem nas rádios, que de certo modo sempre abriram espaços para suas músicas. Entretanto o mercado é assim, toca a música nova da Perla (que é uma Merda - viu, até rima!) e esquece de caras como o Gabriel O Pensador.

Com 7 albuns nas costas - seu último foi "Cavalheiro Andante", de 2005 - Gabriel construiu uma carreira de sucesso com o seu pop rap, onde as letras misturam sarcasmo, humor, realidade e críticas ácidas a diversos setores da sociedade, mesmo sendo bem nascido e criado na zona Sul do Rio de Janeiro. Aliás, Gabriel sempre foi alvo de críticas da ala mais radical do rap nacional por conta de sua condição social e pela postura mais pop do som, que não é exatamente a mesma coisa de um Racionais MC´s, por exemplo. Na minha opinião, Gabriel consegue abraçar o rap com maestria, com letras espetaculares que trazem situações diversas, de maneira mais simples para o grande público, usando muito bom humor e ironia. Mesmo assim, Gabriel conseguiu momentos pesados em carreira, como em "Tô Feliz (Matei o Presidente)", que consta no seu primeiro CD, de 1993, e que foi sumariamente censurada nas rádios, pois tratava nada mais, nada menos, do assassinato do então Presidente da República Fernando Collor de Mello. Este CD também tem outros momentos ácidos, como "Indecência Militar" e "O Resto do Mundo", que retrata a vida miserável de um mendigo. Apesar de ter conseguido popularidade, Gabriel solta em 1995 o segundo disco, sendo o seu CD mais "underground" até hoje, mais voltado ao rap pesado e com letras mais sombrias. Particulamente, acho o melhor disco dele, pois conta com temas sensacionais como "Mentiras do Brasil" (a melhor música dele!), FDP3, "Filho da Pátria Iludido" e "Faça o Diabo Feliz", sua música mais "down", digamos assim.
Não sei se de propósito ou não, mas seu CD seguinte, "Quebra Cabeça" (1997), veio muito mais alegre e pop e foi o CD mais vendido de toda a sua carreira (1,5 milhões de cópias!). Puxado por "2345meia78", que tocou nas rádios a valer, e foi um sucesso. "Nádegas a Declarar", de 1999, repetiu a fórmula, foi bem, mas não repetiu o sucesso. "Seja você mesmo (mas não seja sempre o mesmo)", de 2001, trouxe uma mudança no som: a substituição dos samples por uma banda com guitarra, baixo e bateria. Essa mudança mostrava a antenação de Gabriel com o que rolava lá fora, onde os americanos do Cypress Hill faziam a mesma coisa, para citar um exemplo.

2003 trouxe o esperado "MTV Ao Vivo", que registrou a turnê de "Seja Você..." e gerou excelentes CD e DVD. O carro chefe foi a continuação de "Retrato de um Playboy" do primeiro disco. A "Parte II", na minha opinião, ficou ainda melhor que a primeira! Por fim, "Cavalheiro Andante" simplesmente passou 2005 desapercebido, apesar do bom single "Palavras Repetidas", que tinha o sample "Pais e Filhos" do Legião urbana no refrão. Verdade seja dita, esse é o disco mais fraco de Gabriel até agora.
Apesar de tudo, Gabriel é um talento que não pode ser ignorado, principalmente agora que o Rock nacional não é nem um décimo do que foi nos 80/90 (simplesmente conta-se nos dedos de uma mão o que presta), o Funk continua aí a toda e o pagode infelizmente ainda não morreu. Resta saber se ainda existe espaço para ele no meio de tanto lixo musical, mas um novo CD seria mais do que bem vindo: pelo menos para mim!

Pô, Mudou de Novo???

É mudei sim, porque, vai encarar??? Quem manda aqui sou eu!!! Deu no saco o outro lay out e agora é esse que vai ser: gostou? não gostou? não gostou? tem certeza 01? Ah bom...

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Post nº 100!



É isso mesmo rapaziada: com quase 5 meses de vida, este blog chega ao seu centésimo post. Neste ritmo, passaremos dos 200 antes de um ano de vida! É claro que espero poder fazer isso mantendo a linha que tive até aqui, malhando e elogiando a tudo e a todos, trazendo curiosidades, falando de música, cinema, vídeos, séries, TV, enfim, sobre tudo o que der na telha. Para mim em especial, escrever aqui tem sido uma terapia e tanto, uma vez que o território livre da Internet te possibilita fazer coisas que antes só seriam possíveis através de livros, revistas, fanzines e outros tipos de publicações. Aqui posso ser crítico, fã, telespectador, ouvinte, DJ, VJ, escritor, comentarista, torcedor e tudo mais que quiser ser. Se ler é um exercício mental fantástico, escrever também é tanto quanto. Ou até mais, pois vc tem de ter certeza de escrever de maneira correta para passar a mensagem certa. Ainda não consigo escrever aqui todo santo dia, mas na medida do possível irei fazendo, sempre pensando na qualidade do que publico aqui. Agradeço as minhas duas leitoras fiéis (minha esposa e minha irmã) que sempre me prestigiam e a todos aqueles que, pelo menos uma vez nestes 5 meses, passaram por aqui para dar uma conferida. Que venham mais posts!

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Video da Semana: "Hit ´Em High" (The Monsters Anthem) From Space Jam Soundtrack

Alguém aí não se lembra do "Space Jam" de 1996, que misturava desenho animado e realidade, trazendo como estrela principal o jogador de basquete Michael Jordan? Pois é, não só o filme é muito legal, mas a trilha sonora também, onde aparece esta faixa. Na realidade, trata-se de um Rap cantando por alguns dos maiores ícones do Hip Hop americano, com um resultado muito legal. Por onde de aparição no clip temos: B-Real (vocal do Cypress Hill), Coolio (Rapper que fez sucesso nas rádios daqui com "Gangasta´s Paradise"), Method Man (outro medalhão do estilo), LL Cool J (um que continua fazendo sucesso até hoje, inclusive no cinema. Basta checar "Do Fundo do Mar", por exemplo) e por fim, Busta Rhymes (esse não tem erro: é o das trancinhas esquisitas e caretas mais ainda). Grande som!

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Assista ao Filme Nacional... mas não me Chame

Extraído do Blog DizVentura, no O Globo. Tirando Tropa de Elite, quem se anima a ver isso?

Hein?
Acabou de estrear "Podecrer!", de Arthur Fontes.
Esse é o ano dos filmes com nomes esquisitos. Até dezembro terão estreado em 2007 "Ó paí ó", "Ódiquê?", "Querô", "Mutum", "PQD" e "Os porralokinhas".
Ano que vem tem "A topografia de um desnudo" e "Chique no úrtimo".

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

SINAF - Marketing do Além




Os números impressionam: 23 milhões de Reais por ano, um salto de 90 mil para 300 mil clientes e média de adesão de 7 mil novos ao mês. Tudo isso em 2001, quando a empresa optou pelo humor em suas campanhas, aproximando o cliente de um produto pra lá de indesejado: a morte. Completando 25 anos, O SINAF conseguiu se consolidar no segmento de seguro funeral, atraindo a atenção e a demanda dos clientes por um produto de difícil aceitação, uma vez que lida com um dos mais díficeis momentos na vida das pessoas. Esta transformação na percepção do público só foi possível as campanhas inteligentes e bem humoradas da empresa, que focam no humor negro e no duplo sentido. Alguns podem até não gostar, mas é inegável que este tipo de apelo surte efeito e você até se tentado a saber mais sobre a empresa que dá este tipo de abordagem (negativa?) ao seu produto. Eu, particulamente, que faço Marketing, vejo esta campanha e o posiocionamento da empresa como geniais, além de muito divertidos.

Além do vídeo e da campanha comemorativa acima, outras peças publicitárias (TV, outdoors, banners, ônibus e metrô) já abusaram da graça:

“Fica frio que a gente cuida de tudo”

“Como planejar a morte da sogra”

“Sujeira é você ir pro céu e sua mulher pro SPC”

“Cuidado! Sua próxima parada pode ser cardíaca”

“Nossos clientes nunca voltaram para reclamar”

"Um dia você não acorda e está rico"

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Pan 2007: Esqueletos no Armário

Extraído do site UOL, na data de hoje. Acabei de falar sobre isso e em seguida, encontrei este artigo. A saga da Copa de 2014 nem começou e ainda temos fantasmas do Pan e do Para Pan circulando por aí. Depois dizem que isso é "pessimismo" ou "coisa de quem não pode ver o país andando pra frente". Vejam só:

30/10/2007 - 09h00
Co-Rio culpa Prefeitura do Rio por morte de atleta no Parapan
Por Sérgio RangelDa FolhapressNo Rio de Janeiro


Um dia antes de a Fifa anunciar o Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014, os vereadores do Rio realizaram nesta segunda-feira a primeira audiência pública da CPI do Parapan. A comissão foi aberta para investigar se os atletas que competiram no evento foram tratados com desleixo e desatenção.

O ponto principal da investigação é a morte do mesa-tenista argentino Carlos Maslup, vitimado por um acidente vascular cerebral aos 48 anos, no dia 22 de agosto. O esportista morreu no hospital municipal Salgado Filho (zona norte), após ser medicado na Vila do Pan e no hospital municipal Miguel Couto (zona sul).

"Queremos encontrar uma resposta para o tratamento diferenciado entre os atletas do Pan e do Parapan. Hoje, o Co-Rio [comitê organizador do Parapan e do Pan] jogou a responsabilidade na prefeitura. Agora, queremos esclarecer todos os fatos com o governo", disse o vereador Márcio Pacheco (PSC), idealizador da CPI.

A audiência contou com a presença do secretário-geral do Co-Rio, Carlos Roberto Osório, e de oficiais do Corpo de Bombeiros, responsável pela remoção do argentino.

Pelo planejamento de saúde do evento, os paraatletas eram atendidos em hospitais públicos. Já no Pan, os atletas tinham a cobertura de um plano de saúde.

"Vamos mergulhar neste tema. Se for comprovado que Maslup morreu por fruto de discriminação, encaminharemos o caso ao Ministério Público para culpar os responsáveis", disse Pacheco.

Os integrantes da comissão vão se reunir nos próximos dias para decidir pela convocação de um representante da Prefeitura do Rio. Uma outra CPI da Câmara dos Vereadores vai investigar o Pan. A comissão está parada desde antes do início da competição. Ela só será retomada em novembro.

A segunda CPI pretende investigar os gastos da prefeitura no evento. O custo do Pan para os cofres públicos foi quase 800% maior do que o previsto em 2002. Há cinco anos a União, o Estado e o município do Rio afirmaram por escrito que, juntos, gastariam R$ 409 milhões (em valores atualizados pela inflação). A conta alcançou R$ 3,7 bilhões. A cota da prefeitura pulou de R$ 239 milhões para R$ 1,2 bilhão.De acordo com o vereador que fez o requerimento, a construção do Estádio Olímpico João Havelange será um dos principais alvos da investigação. O estádio estourou inúmeras vezes o orçamento. Em 2003, o "Diário Oficial do Município" informou que o Engenhão custaria R$ 60 milhões (R$ 75 milhões hoje). O custo final foi de cerca de R$ 380 milhões.

A Copa de 2014 e o Nojo de ser Brasileiro

Desde já, peço desculpas a todos que lerem este post, mas vou ter que chutar o balde. Simplesmente estou cansado desse país. Desde que comecei a ter noção das coisas, nunca me considerei brasileiro, mas agora, considero isso até uma ofensa a minha pessoa. Me chamem de qualquer coisa, menos de brasileiro: se isso acontecer, acho que parto até para a briga. Simplesmente não dá, quando você acha que já viu de tudo em termos de corrupção, hipocrisia política e inanição do povo, vem a bomba: o Brasil vai sediar a copa do mundo de 2014. Eu pergunto: pra quê?
Os brasileiros de plantão já estão felizes e acharam o máximo, pois vai trazer maior exposição para o país, investimentos, turismo, além de exaltar o nosso futebol, que é o melhor do mundo (sic) e etc. Se repararmos bem, o Pan já deveria ter trazido grande retorno a cidade do Rio de Janeiro, mas não trouxe... Tem dúvidas? Veja neste link a parte 1 e neste outro a parte 2 de um excelente artigo que eu encontrei na Internet, chamado "Pan do Rio: pandemônio". É feita uma dissecação muito boa do evento, mostrando o que a grande mídia não divulgou. Para finalizar o assunto Pan e complementar meu argumento, gostaria de deixar registrados os seguintes pontos:
- O Pan custou quase dez vezes mais do que o orçado inicialmente: de 409 milhões de Reais, acabou custando 3,7 bilhões de Reais. Isso num evento localizado em um estado apenas... Imaginem a nível Brasil, como a Copa que virá;
- Não houve praticamente retorno nenhum ao Rio de Janeiro em termos de infra estrutura: transporte, segurança (ou a falta dela), hospitais continuam os mesmos;
- Com relação ao destino da infra estrutura montada para o Pan (estádio, arenas), citarei o exemplo do Engenhão: com o fim do Pan, sua administração passou para o Botafogo. Entretanto, até o seu 1º evento pós Pan (1 mês depois), o estádio ficou abandonado. Imaginem o resto, sem mencionar que esta construção, dos 60 milhões inicialmente orçados, acabou em 380 milhões...
- Ainda correm na Justiça processos referentes a fornecedores de produtos e serviços que não receberam da Prefeitura e do Governo por seus préstimos ao Pan...
Voltando a Copa de 2014, foi deprimente ver seu anúncio em Zurique, onde a comitiva brasileira era formada por um mundo de gente: Lula, Dunga, Romário, Ricardo Teixeira, um monte de governadores (?), que presenciaram o anúncio oficial. O que deve ser observado é que, nos 7 anos que virão até a Copa, veremos políticos e empresas se degladiando, interessados nos rios de dinheiro que vão circular por conta desse evento. Não duvido nada que teremos um Deja-vu do Pan, onde tudo foi feito de última hora, terminando sem licitações, de qualquer jeito, facilitando a roubalheira e pior, justificando-a... A quantidade de governadores presentes na Suiça dá a tônica da briga política que será para a sediação dos jogos nos estados. É claro que Rio e São Paulo não farão muita força, mas as barganhas políticas serão intensas nos outros estados. As obras de infra estrutura necessárias vão movimentar muito dinheiro, e todos vão brigar para abocanhar uma fatia desse bolo.
Enquanto isso, temos o aspecto social: o bobo do brasileiro que está vibrando com isso. A cegueira causada pelo futebol no povo barsileiro é impressionante, e com esta Copa não será diferente. Se com os eventos anteriores, realizados no exterior, o povo se abstrai, imaginem com ele sendo realizado aqui! Entretanto, o mais assustador está por vir. Acompanham a ordem dos fatos abaixo:
2007 : Anúncio da Copa no Brasil em 2014 ao longo 2º mandato do Lula, que apesar da administração medíocre e corrupta, tem alto índice de aprovação da população (baixa renda). Apesar de timidamente, já se cogita um 3º mandato para Lula, através das conhecidas maracutaias eleitorais que mexeriam na Constituição para tornar isso viável;
2010: Eleição para presidente e copa do mundo na África do Sul (Sempre achei um absurdo nossa eleição presidencial dividir espaço com um evento deste porte. Acho muito perigoso e alienador). Temos a possibilidade de ter um novo presidente ou a 2ª reeleição de Lula. Se ele não conseguir, ainda há outra opção;
2014: Copa no Brasil e eleição para presidente. Alguem teria condição de enfrentar um candidato populista, que já foi presidente por dois mandatos consecutivos com alto índice de aprovação e que conseguiu a Copa que está para acontecer?
Viram? Um evento deste porte, em vez de ajudar, só vai nos trazer mais corrupção, mais politicagem, nenhum benefício social a população, e ainda nos traz o risco de ter Lula e o PT no poder mais uma vez. Com base nisso, desisto de vez de ser brasileiro. Desisto porque um país que tem tantas necessidades, tantas deficiências, se preocupar com um evento de futebol. Não temos hospitais, não temos estradas, não temos segurança, não temos previdência social digna, não temos empregos, não temos escolas, ainda sofremos com a fome e a miséria, somos poluidores e não cuidamos do meio ambiente, temos deputados e senadores que nos custam R$ 100.000,00 ao mês para nada fazerem, e mais uma série de problemas que nos garantem um lugar de honra no 3º mundo. Mesmo sendo uma nação tão rica, com tantos recursos naturais e de mão de obra. Mesmo sendo um povo amistoso. Mesmo tendo um clima tão bom. Mesmo com tudo isso, digo sem medo: esse país é uma merda.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Al Gore e "Uma Verdade Incoveniente"

Como eu havia comentado, fui assistir no Sábado ao documentário do Al Gore, o "Uma Verdade Incoveniente". Vencedor do prêmio Nobel da Paz e ganhador do Oscar, Gore mostra neste documentário todo o cataclismo ambiental que estamos enfrentando e o que está por vir, caso não façamos nada. Muito bem editado, com muita, mas muita informação mesmo sobre o assunto, Gore consegue traduzir números, estatísticas, gráficos, mapas, fotos e vídeos com clareza, de modo que a maioria das pessoas, com um mínimo de esclarecimento, tenha condições de entender tudo o que está se passando com o nosso planeta. Mesmo tão bem feito, vale a pena citar que Gore já obteve críticas de parte da ala científica, que alega serem exageradas suas afirmações. Independente disso, ao assistir o documentário, Gore deixa claro que domina o assunto e que encontra-se muito bem embasado em termos de informações, obtidas inclusive ao longo de sua passagem pela Casa Branca como vice-presidente dos EUA, na gestão de Bill Clinton. Ao citarmos a Casa Branca, citamos tambem o Calcanhar de Aquiles do documentário.

Na verdade, apesar de bem intencionado (quer melhor intenção do que salvar o planeta?) e bem feito, é impossível não enxergá-lo como uma campanha presidencial subliminar, se é que vocês me entendem. Senão, porque narrar toda a corrida presidencial de Gore ao disputar (e perder) a eleição contra George W. Bush? Por quê mostrar detahes de sua vida, sua infância, família (modelo, diga-se de passagem, bem ao estilo americano) , o drama vivido pelo seu filho pequeno, enfim, detalhes que agregam uma carga dramática e emocional desnecessária, pelo simples fato de não têm conexão direta com o assunto. É praticamente impossível, ao fim do filme, não nutrir extrema simpatia pela pessoa de Al Gore, enxergando nele, um grande exemplo. Mas não é bem assim... Gore nem sempre foi tão ético. Neste link, você pode ler uma reportagem do jornal O Globo sobre o Live Earth, organizado por Gore, onde é citado um episódio em que a política e o ambientalismo dele se misturaram com prejuízos ao planeta.

Daí fica a questão: Gore tem dois livros publicados sobre o assunto e iniciou sua cruzada ambiental em 1993, ao assumir a vice presidência. Nestes 14 anos, só ouvimos falar dele efetivamente a partir do "Uma Verdade Incoveniente" e em seguida pela organização do festival Live Earth. Em outras palavras, nem durante a sua gestão como vice de Clinton ele conseguiu ser tão atuante (ou pelo menos visto como atuante) como agora. Na minha concepção, esse "agora", nunca foi tão oportuno: Hillary Clinton pode ser a próxima a ocupante da Casa Branca caso se confirmem as expectativas. Nesse caso, Gore teria aí uma aliada de peso que, somada com sua exposição atual (e consequente assimilição da sua imagem pelo público), o colocaria como favorito a presidência, no futuro.

Apesar de tudo, o documentário funciona e passa sua mensagem: se não nos cuidarmos, se não mudarmos nosso estilo de vida, não teremos futuro no planeta. Opções, temos muitas, mas esbarramos na política (olha ela aí de novo!), no Capitalismo e na falta de entendimento entre os Governos. Segundo Gore, não podemos esperar muito para fazer algo. Segundo os obstáculos que temos de enfrentar, vamos levar muito tempo.
No fim do documentário, há um link de site (em Inglês) para acessar, saber mais e ajudar. Não custa nada checar: http://www.climatecrisis.net/

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Capitão Nascimento é o Cara!

Não tinha como não postar isso aqui! O "Funk da Tropa" era uma questão de tempo, pois tudo vira Funk nesse país. Entretanto, tive de reconhecer: a montagem ficou sensacional! Basta dar uma sacada no clipe abaixo e comprovar que o Capitão Nascimento é o cara! Atenção!!!

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Ainda dá Tempo para Salvar o Mundo? [2]

Apesar de já haver comprado a revista, ainda não havia lido a reportagem: a Veja dessa semana traz, na matéria principal, aquilo que falamos no post anterior com relação ao meio ambiente. Entretanto, a matéria tem foco um pouco diferenciado, tratando o assunto sob o ponto de vista de que é injustificado o extremo alarmismo sobre o assunto. Segundo a matéria, as previsões do IPCC (orgão da ONU responsável por diversos estudos na área ambiental e pelos prognósticos mais negativos sobre os quais temos ouvido falar ultimamente) e de Al Gore em sua cruzada pró-planeta são exageradas e não condizem com a realidade. É difícil, para leigos comos nós, saber quem está certo, embora sejam claros os sinais que temos hoje na natureza: independente das tragédias ambientais chegarem até nós amanhã ou somente daqui a 100 anos, é inegável o fato que as mudanças no planeta já começaram. Vale a pena ler a matéria pois as informações são importantes, apesar das controvérsias.

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Ainda dá Tempo para Salvar o Mundo?

Já estou para falar deste assunto há algum tempo, por dois motivos: estou tendo isso na Faculdade e também porque se fala disso hoje como se nunca falou. Talvez seja por isso mesmo que se fale tanto disso hoje: como nunca ninguém se preocupou, as coisas chegaram ao ponto que em que estão, com o meio ambiente em colapso. Na faculdade, vejo isso através de Marketing Ambiental ou Verde (sim, isso existe!), onde observamos as perspectivas de negócio através do impacto ambiental. Basicamente, tudo gira em torno de consumo sustentável, que é controlar a produção e consumo nos dias de hoje com olhos no futuro, preservando esse consumo também para as gerações futuras. Para isso, uma série de mudanças são necessárias, de modo que não esgotemos nossos recursos naturais, deixando a pé nossos filhos, netos, bisnetos e etc... E é aí que está o problema: já devíamos estar pensando nisso há muito tempo, e não só agora.
Mas o que significaria o consumo sustentável para nós, cidadãos comuns? Evitar desperdício de água, diminuição do consumo de energia elétrica, redução / triagem do lixo produzido (basta lembrar da pilha usada, das latas, das garrafas pet que todos nós jogamos fora juntos), usar menos o automóvel e etc. Ou seja, reduzir ou eliminar vícios da modernidade que nós usufruimos hoje 24 horas ao dia. Será que é possível? Nesse ponto, esbarramos no problema da informação e consciência. Por exemplo: para o cara utilizar menos o carro, ele precisa saber que a gasolina que ele está usando é um derivado do petróleo, cujas reservas mundiais já caminham para o esgotamento. Além disso, ele precisa saber que a queima do combustível do seu carro produz aumenta os níveis de Carbono na atmosfera, afetando a camada de Ozônio, acelerando o Efeito Estufa, que consequentemente acarreta todos os desequilíbrios ambientais que vemos hoje, inclusive aqui no Brasil. Viram quanta informação? Com tudo isso, ele deve criar a consciência de que ele também é responsável pelos recursos naturais do planeta, e não só as grande empresas e indústrias...
Baseado nisso, vemos, aqui no Brasil e no mundo, várias frentes de ação pelo meio ambiente, visando a conscientização das nações. Obviamente muita coisa esbarra na politíca e no capitalismo, pois o desenvolvimento de qualquer país vai estar quase sempre ligado ao denegrimento do meio ambiente. Crescer economicamente, privando-se da poluição das industrias ou da extração de recursos naturais, é quase impossível. Impossível porque reduzir níveis de poluição ou então dosar a extração ou repor os recursos naturais custa dinheiro. Por isso, o Brasil não assinou o Protocolo de Kyoto (saiba mais aqui) porque alega que seus níveis de poluição até hoje são inferiores aos dos países desenvolvidos, tendo ainda direito a manter seu crescimento e seus níveis de poluição (?!?!?). Os EUA são os maiores poluidores mundiais, e também não assinaram o Protocolo porque países em Desenvolvimento como o Brasil não o fizeram.
Posto isso, podemos concluir que salvar o meio ambiente não será tão fácil, pois demanda criar consciência mundial, sobrepondo as barreiras políticas e econômicas. Pessoalmente, sou muito pessimista quanto a isso, e dou apenas uma razão para tal: para evitarmos os efeitos na natureza com relação ao aquecimento global, precisariamos ter HOJE uma diminuição em 50%, a nível mundial, das emissões de CO2 na atmosfera. Mentalizem: acabar com metade das fábricas, metades dos carros, metade das queimadas, isso no planeta todo... Sábado irei assistir ao documentário do Al Gore ("Uma Verdade Inconveniente"), que já me disseram ser bem pessimista. O problema é ele não ser pessimista, mas sim realista.

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

O Lixo Digital já é Delas

Acabei de saber que em Dezembro agora já teremos o início da transmissão do sinal da TV digital. Agora, o que era ruim com chuvisco, vai ser ruim em alta definição! Que a nossa TV é uma m****, todo mundo sabe, mas fico tentando entender esse investimento todo para uma programação tão pobre. Eu mesmo já falei sobre isso aqui, mas outro dia me peguei pensando em quais seriam os piores programas da TV brasileira na atualidade, aqueles que não dá para assistir sem ficar p*** da vida. Mesmo descontando novelas (um caso a parte), filmes, jornalismo e seriados, a lista ficou grande. Mesmo com alguns nomes famosos inquestionáveis, 4 programas se destacaram, curiosamente apresentados por ... mulheres! Isso mesmo! Quatro mulheres, na minha opinião, conseguem fazer o que há de pior na TV brasileira! E aí vc me pergunta: e o Fauto Silva? Gugu Liberato? OK, eles são ruins mesmo, mas têm tradição na TV brasileira e em algum momento de suas carreiras fizeram algo de relevante. A despeito da fase atual, Fausto Silva fez o inesquecível Perdidos na Noite, que era o máximo, ao passo que Augusto Liberato quase me conveceu, por um tempo, de que poderia suceder Silvio Santos... Por conta disso, os quatros nomes a seguir do nada vieram, continuam não sendo nada, mas infelizmente estão (quase) todo dia lá na telinha para nos infernizar... São elas:

Um programa que trata do "delicado" assunto da agressão sofrida por um travesti por parte de um ator famoso durante um programa, ou o recém assumido romance lésbico da filha de uma cantora (?) conhecida (?), como se isso fosse realmente relevante para a sociedade, não pode nunca ser levado a sério... Luciana Gimenez e seu "Superpop" são o máximo em podridão televisiva. Os temas debatidos em seu programa são tão inerentes a sociedade quanto o motivo pelo qual cabrito caga redondo. Antes de mais nada, Luciana Gimenez não era nada antes de ser embuchada por Mick Jagger (caso vc não saiba, vocalista dos Rolling Stones). Ok, ela era modelo, mas não chegava nem ao chulé do sucesso de uma Gisele Bundchen, que é conhecida mundialmente. Além disso, a única coisa mais relevante em sua vida era fato de ser filha de Vera Gimenez, atriz famosa pela nudez nas chanchadas do cinema Brasileiro da década de 80... Resumindo: a mina de ouro desta mulher foi engravidar de um roqueiro milionário, que lhe paga uma fortuna de pensão e lhe deu, de tabela, divulgação gratuita na mídia. Como dinheiro atrai dinheiro, ela conseguiu casar com o vice-presidente da Rede TV, emissora do seu programa... Mesmo sendo burra como uma porta, tem um programa diário de debates, onde discute homossexualismo, filmes pornô, artistas decadentes, músicas bregas, prostituição, fofocas, tudo discutido por pessoas que entendem, como dizia minha avó, "necas de pitibiriba". Um verdadeiro deserviço à sociedade.

Marcia Goldsmith é a versão de saias do João Kleber e, não sei como, conseguiu retornar (após um período sumida) a tela da rede Bandeirantes com um programa tão ruim quanto o seu anterior. Seu programa é basicamente apelativo, com um caso bizarro atrás do outro, onde a tônica é: "Fulano tem algo para revelar para Beltrano, mas tem medo de faze-lo". Baseada nisso, ela leva horas embromando o pobre do telespectador (mas quem assiste um troço desses bem que merece), com um ar de quem tem toda uma vida ensinamentos para passar, fazendo um suspense tremendo, para no final contar uma uma coisa imbecil... Seu programa anterior tinha um quadro que era o clássico do ruim: ela pegava uma mulher pobre, no bagaço, e promovia todo um tratamento de beleza que ia de cabelo, maquiagem e dentista até operação plástica, transformando-a numa princesa. Em alguns casos até funcionava. O que ela não explicava depois é como a pessoa mantinha todo esse tratamento feito, que invariavelmente custa uma fortuna...

Esse é o ruim que dá vontade de rir. Luiza Mel, a criminosa, digo, apresentadora responsável por isso aqui, usa este programa em defesa dos cães e dos animais em geral. O único problema é conseguir acreditar que essa moça tem uma vida dedicada a defesa dos animais, o que justificaria o programa em questão. O que complica ainda mais isso é o fato dela ser envolvida com um executivo da Rede TV, emissora onde seu programa é exibido (mais uma?)... Apesar de muito bonita, não há um pingo de credibilidade ou conhecimento de causa nas matérias do programa, onde nota-se sim uma pauta bem redigida, onde ela simplesmente fala o que foi escrito. Outra coisa: saca o cara da Record que adora animais e se atraca da mesma maneira com um coelhinho e com um Jacaré? Pois é. Ele faz isso porque gosta, estudou, conhece tudo e sabe o que pode ou não fazer, já nossa amiga... Se limita a brincar com os cães dóceis e bonitinhos, mas nunca com um Pitbull... Em vez disso, ela chora enquanto exibem matérias de maus tratos a animais. E nós choramos do outro lado da tela, mas não pelo mesmo motivo.

Me perdoem a expressão, mas lembra do "gozar com o pau dos outros"? Este é o lema de Sônia Abrão e seu "A Tarde é Sua". Ex-Jurada do Silvio Santos, Sônia foi do SBT para a Rede TV para falar da Rede Globo ( confuso, não?). Mas é isso mesmo. Tirando uma ou outra entrevista tão relevante quanto as da Luciana Gimenez (aliás, sua colega de emissora), Sônia faz um programa vespertino para falar das atrações da Rede Globo com a maior cara dura. Ela consegue, sem problema, passar quase as 3 horas de duração do seu programa (!) falando do Big Brother, como aconteceu há pouco tempo atrás. Além disso, fala também das novelas, onde monta prognósticos do que pode acontecer, o que vazou na imprensa e etc. Você pode até pensar: mas a culpa é dela ou da emissora que lhe dá isso como opção, preferindo falar da concorrência (e pior: não criticando, mas divulgando)? O problema todo é que ela se considera uma jornalista (igual ao Leão Lobo), o que todos sabemos que nem ela e nem ele o são. Se eles são jornalistas, os meus vizinhos podem tranquilamente apresentar um telejornal.

Formula 1 - Temporada 2007

A fórmula um encerrou a temporada de 2007 com o grande prêmio de ontem, em Interlagos. Foi uma corrida sensacional, principalmente pela decisão do título, adiada na corrida da China pelo abandono do Hamilton. Além do próprio Hamilton, Haikkonen e Alonso também estava na disputa e o solo brasileiro foi o palco da definição. Muito justamente, Haikkonen venceu e botou a mão no título (com uma GRANDE ajuda de Felipe Massa), apesar do favoritismo de Hamilton. Aliás, este perdeu o duelo com o seu maior desafio: si próprio.
Hamilton, apesar do talento, não soube administrar a pressão sobre si e cometeu um erro fatal que lhe custou o campeonato já na 1ª volta. Como eu já achava que ele havia sido beneficiado, em mais de uma vez em situações passíveis de punição, achei justo que ele não ganhasse agora. Não tiro seu mérito, reconheço seu talento, mas Michael Schumacher não foi campeão por sete vezes apenas sendo bom de volante: sorte, sangue frio e uma boa estratégia também fazem parte do pacote, e isto tudo faltou a Hamilton ontem. Apesar dos pesares, foi seu primeiro ano na F1 e ele tem muito pela frente.
Haikkonen realmente se mostrou o "Homem de Gelo" tão propagado pelo nefasto, asqueroso, chato e insuportável Galvão Bueno. Quem viu a corrida até o fim pode comprovar que o cara realmente não tem emoção alguma, comemorando muito pouco aquele que foi o seu primeiro título mundial. A Finlândia é realmente fria mesmo... Entretanto, isso não desmerece sua vitória, conseguida em equipe, com uma grande ajuda de Massa, que seguiu a risca o roteiro e deixou o companheiro passar na hora certa. Mesmo assim, Haikkonen fez uma boa campanha, se recuperando e aumentando suas chances de disputa do título na segunda metade da temporada. Mereceu, mas ano que vem quero o Massa lá, não ele.
Massa pode se considerar uma cara feliz. Terminou em 4º lugar no campeonato, mas poderia ter ido além se não fossem alguns percalços que, se devidamente analisados pela equipe, não se repetirão no ano que vem. Acredito que a experiência e a maturidade adquiridas por ele este ano lhe serão muito úteis em 2008, uma vez que mostrou que não é mero coadjuvante, tendo chances reais de disputar um título. Massa também mostrou que não é um piloto chorão e passivo (alguém aí lembrou do Rubinho???), sendo arrojado no momento, chegando até a peitar o Alonso quando teve de faze-lo. Grande promessa brasileira para 2008.
Galvão Bueno continua um saco. Gostaria de saber se não há uma alma inteligente na Rede Globo que perceba o quanto ele não faria falta, caso não narrasse mais nada lá. Reginaldo Leme, sozinho, dá conta do recado, passa as informações certas, na hora certa, sem ser chato e arrogante como Galvão é em tempo integral.
Depois de tanta emoção, só nos resta aguardar a temporada de 2008, que talvez venha com mais um piloto brazuca, Nelsinho Piquet. Aliás, isso só tende a aumentar a fervura do caldeirão: já imaginou se ele for igual ao pai?
PS: O Rubinho terminou o campeonato com exatos ZERO pontos (...)

Vídeo da Semana: Snoop Dogg Feat R.Kelly "That´s That"

Para começarmos bem a semana. "That´s That" é mais um som de um dos mais poderosos e influentes rappers da cena americana, Snoop Dogg, aqui acompanhado do também conhecido R. Kelly. Famoso pelo envolvimento com a cena Gangsta (os "comandos" de lá) e pelas confusões em que sempre se mete (para se ter uma idéia, ele e uns "amigos" já conseguiram destruir a sala VIP de um aeroporto, culminando na já costumeira visita a cadeia), Snoop Dogg é sempre muito requisitado por muitos artistas para participações especiais, que sempre resultam em sucesso. Independente dessa vida agitada, tudo, a música tem um balanço sensacional e é muito legal, isso sem falar do clip, nota dez. That´s That!!!

Tô na área...

Peço desculpas as minhas duas leitoras (minha esposa e minha irmã) pelo sumiço, mas tava meio sem saco e sem inspiração para escrever... o calor simplesmente me derruba, e infelizmente já está começando a pior época do ano para mim, a dobradinha Primavera-Verão. Fico de mau humor, cansado, morrendo de saudades daquele friozinho do inverno, até mesmo das eventuais garoas (quer coisa melhor?)... No fundo, no fundo até senti falta de postar, mas preguiça falou mais alto... Apesar dos pesares e depois de um bom e revigorante cochilo, 'tamos aí...

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Vídeo da Semana: ABBA "The Winner Takes It All"

Não achar isto aqui bonito é o mesmo que atestar que não se tem coração... Essa canção de 1980, do album "Super Trooper", é simplesmente belíssima, tal qual as muitas outras na carreira do ABBA (que para quem não sabe, são as inicias dos nomes deles: Agnetha Fältskog, Björn Ulvaeus, Benny Andersson e Anni-Frid Lyngstad). Formado no início da década de 70, esse quarteto sueco simplesmente apresentava um pop de extrema qualidade e bom gosto, que deixou os fãs na saudade quando do fim do grupo por volta de 1982.

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

"Assim como são as Pessoas, são as Criaturas"

O ser humano é um troço curioso. Sua capacidade de adaptação é incrível, seja ao meio ambiente, ao clima, as pessoas, as regras, enfim, tudo a sua volta. Nesse processo, obviamente o ser humano define seus próprios conceitos, padrões, valores, geralmente em harmonia com tudo a sua volta. Ou seja, ele molda sua personalidade em função do meio em que vive. Não vou entrar no mérito sociológio ou filosófico da coisa, mas usei essa enrolação para mostrar minha indignação sobre o fato de que personalidades ou caráteres já definidos possam sofrer mudanças tão drásticas...

Semana passada, se não me engano, a jornalista Tereza Cruvinel deixou o Jornal O Globo para assumir a presidência da TV Pública, um dos inúmeros disparates do governo do PT. Lula tem se empenhado na criação desta TV (que vai unificar os vários orgãos de comunicação do governo, como a Radiobrás por exemplo) por uma simples razão: a de poder divulgar livremente as esdrúxulas idéias do seu governo, sem ter de recorrer a imprensa convencional, uma vez que esta tem sido implacável no sentido de expor as irregularidades mil que vem acontecendo, e que para ele são tão naturais quanto fazer cocô (desculpem, mas só falando assim!!!). Voltando a Tereza, sempre fui leitor da sua coluna no O Globo, uma vez que sua análise política era muito boa e recheada de informações interessantes face a sua desenvoltura no meio político, além do seu talento jornalistico. Tereza só tinha um problema: sua relação no meio político, com algumas figuras específicas, era de quase admiração, o que as vezes comprometia sua avaliação dos fatos. Apesar disso, foi constante o discurso na sua coluna sobre os impropérios administrativos de Lula e sua gang. Ou seja, ela fazia parte da imprensa que denunciava tudo o que viámos (e ainda vemos) de errado no Brasil. Pelo visto, a título de "novo desafio", largou a personalidade de lado e foi a luta mamar nas tetas do governo.


Mas Tereza não foi o primeiro caso a me decepcionar: o jornalista da Band, Franklin Martins, aceitou assumir a área de comunicação e imprensa do Planalto, já há algum tempo. Com status de ministro, Franklin foi trabalhar no governo que tanto analisava e criticava no programa "Canal Livre", que ia ao ar na Bandeirantes aos Domingos as 22h30m. Quem assisitiu alguma vez a este programa, que entrevistou entre outros Tarso Genro (hoje ministro da Justiça) e Geraldo Alckimin, tinha ali um bom meio de se informar e se manter atualizado sobre politica, com entrevistas muito polêmicas, com perguntas eventualmente embaraçosas (leia-se delicadas, diretas e objetivas). A saída de Franklin foi um baque para mim, pois o país carace de quem questione, pois a população não tem mais esse hábito, se deixando roubar e escravizar cada vez mais....

Com estes dois exemplos, me pergunto: para onde foram os valores? porque aceitar trabalhar num local onde vc sabe que seu chefe não presta e o produto da empresa não tem validade nenhuma? como alguém pode ser adaptar e mudar tão rápido?
Será que se adaptar demanda abrir mão do caráter? Se for assim, prefiro não mudar....

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Charge(s) do Dia



Hugh Laurie "Protest Song" - Saturday Night Live

O Saturday Night Live é o mais famoso programa humorístico dos Estados Unidos, por onde já passaram muitos humoristas/atores famosos (Jim Carrey, por exemplo). Quase sem querer assisti a este vídeo (hilário!!!) que traz a "Canção de Protesto" do ator Hugh Laurie, onde obviamente ele faz um protesto (sobre a situação do mundo), mas cujo refrão mostra a solução para os problemas que ele tem... Logo abaixo do vídeo, seguem a letra e a tradução. Proteste e divirta-se!

Protest Song
Canção de Protesto

Well, the poor keep getting hungry, and the rich keep getting fat
Bem, os pobres continuam famintos, e os ricos continuam engordando
Politicians change, but they're never gonna change that.
Os políticos mudam, mas eles nunca irão mudar isso
Girl, we got the answer, it's so easy you won't believe
Garota, nós temos a resposta, é tão fácil que você não irá acreditar
All we gotta do is...
Tudo que nós temos de fazer é...

Well, the winds of war are blowin', and the tide is comin' in
Bem, os ventos da guerra continuam soprando, e a maré está subindo
Don't you be hopin' for the good times, because the good times have already been.
Não espere por bons tempos, porque os bons tempos já se passaram
But, girl, we got the answer, it's so easy you won't believe
Garota, nós temos a resposta, é tão fácil que você não irá acreditar
All we gotta do is...
Tudo que nós temos de fazer é...

It's so easy, to see
É tão fácil, ver
If only they'd listen, to you and me.
Se eles apenas nos ouvissem, a você a mim
We got to... as fast as we can
Nós temos que... o mais rápido que pudermos
We got to... every woman, every man
Nós temos que... cada mulher, cada homem
We got to... time after time
Nós temos que... todas as vezes
We got to... vodka and lime.
Nós temos que... Vodka e Limão

Well, the world is gettin' weary, and it wants to go to bed
Bem, o mundo está ficando cansado, e ele quer ir para a cama
Everybody's dyin', except the ones who are already dead.
Todo mundo está morrendo, exceto aqueles que já morreram
Girl, we got the answer, starin' us right in the face
Garota, nós temos a resposta, bem diante dos nosso olhos
All we gotta do is
Tudo que nós temos de fazer é...
All we gotta do is
Tudo que nós temos de fazer é...
All we gotta do is...
Tudo que nós temos de fazer é...

Uma Lição para o Brasil



Extraído do Blog da Santa. Serve de lição para esse "paisinho" que a gente vive...

A Filândia é campeã mundial de educação e tem a menor percepção de corrupção no mundo

Investimento em educação básica transformou a cara da Finlândia. Para Tarja Halonen, a presidente, " é muito importante ter a coragem de alocar os recursos para a educação básica" . E, ao ser perguntada sobre como controlam a corrupção, Halonen responde que "o homem não é santo em lugar nenhum do mundo, mas se as decisões políticas forem tornadas públicas o mais cedo possível, então é impossível que a corrupção ocorra naquela decisão tomada". Se o Brasil busca inspiração para enfrentar dois de seus principais problemas, dificilmente o presidente turista Luiz Inácio Lula da Silva poderia visitar um lugar mais apropriado.

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Vídeo da Semana: Olive "You´re Not Alone"

Esse projeto de Trip Hop (não me perguntem o que é isso e qual a diferença para Trance, Ambient e congêneres Dance.: para mim é tudo eletrônico) lançou o album "Extra Virgin" em 1995, com essa música encabeçando a sua divulgação. Formado pelos produtores Tim Kellett e Robin Taylor-Firth, mais a vocalista Ruth-Ann Boyle, o som do Olive é um eletrônico calmo, com batidas leves e com o vocal doce de Ruth muito bem encaixado nas músicas. Aqui no Brasil, "You´re Not Alone" chegou a fazer sucesso na (agora Paulista) Rádio Jovem Pan.

TV Aberta x TV por Assinatura

Por esses dias, recebi alguns sinais de que eu não devo, nunca mais na minha vida, assistir TV aberta. Sinais de que, de algum jeito, eu tenho que me virar e arrumar dinheiro para pagar uma TV por assinatura, eliminando de vez da minha existência os efeitos malígnos da programação dos canais abertos. Na minha opinião, atingimos um ápice negativo de qualidade de programação como nunca dantes visto, com uma oferta de programas tão bisonhos, tão sem conteúdo, que fica até difícil de acreditar. É claro que existem alguns programas que escapam, mas geralmente são tarde da noite, ou então muito cedo, o que os deixa fora do alcance do grande público. Via de regra, é normal que as vezes não haja, em nenhum canal, ao mesmo tempo, nenhum programa decente.
É fácil chegar a essa conclusão quando se tem a disposição programas como da Luciana Gimenez (um gênio de mulher), onde são abordados temas importantíssimos para a sociedade, como o namoro da filha da Gretchen (ex-mulher e atual sapatão) ou impacto das fotos pornôs de uma das atrizes do High School Music na cabeça dos fãs. Ou então programas como o do Fausto Silva, o único entrevistador que consegue perguntar e responder ao mesmo tempo, ou humorísticos como Turma do Didi, Dedé e o Comando Maluco, programas de Funk da Furacão 2000, programas de entrevistas como Sônia Abrãao, Marcia Goldsmith (essa talvez a pior das piores) e por aí vai.
Isso sem falar em novelas, cujos elementos centrais evoluem cada vez mais (somando-se aos já famosos personagens pobres, ricos, cornos, vilões, mocinhos e apaixonados), tendo agora personagens mutantes, doentes terminais, fantasmas, gays, e etc.
No fundo, isso faz parte da política do governo em ter uma população ignorante. Não que o governo monte as grades de programação (é óbvio), mas a partir do momento em que temos milhões de ignorantes, estes aceitam mais facilmente qualquer coisa que lhes seja empurrada, em qualquer esfera, inclusive na política (motivo esse do Governo Lula ser tão popular). Só isso explica os índices de audiência que mantêm um Fausto Silva falando asneira para as famílias brasileiras, em plena tarde de Domingo, ao longo de todos esses anos. Ou um Fantástico, que já foi um excelente programa jornalístico, e que hoje está a mercê de apresentadores lastimáveis como Zeca Camargo, simplesmente patético, sem credibilidade e carisma jornalistico, e Glória Maria, que esqueceu a boa reporter que foi um dia em detrimento de mostrar que continua enxuta, mesmo aos 1.500 anos de idade.
Em contra partida, nas vezes que assisto a TV fechada, me encanto com a quantidade de (boas) opções. Música, Cultura, Filmes, Economia, Documentários, Política, Desenhos, Esportes, enfim, tudo o que se possa imaginar, em quantidade e qualidade. A ninharia de informações da TV aberta desaparece no espaço de centenas de canais específicos, segmentados de tal modo que é quase impossível não encontrar algo com que você não se identifique. É claro que esse paraíso de imagem e som digital (sim! até o sinal é melhor!), custa caro e ainda não é acessível a todos. Incluisve, acho que isso vai demorar muito para acontecer, face a nossa economia, infraestrutura (oferta de TV + Telefone + Banda Larga) e a questão cultural em si.
Enquanto isso tudo não chega na minha casa, mantenho minha TV desligada (o que economiza energia elétrica) ou então ligo apenas para assitir ao bom e velho DVD.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

O Batera

Tenho paixão por música, e dentro da música, paixão por um instrumento em especial: bateria. Acho um instrumento incrível, simples e ao mesmo tempo complexo, cujas as possibilidades de musicalidade são incríveis! Dos menores aos gigantescos kits, da acústica à eletrônica, todo o tipo de som pode ser extraído dela, que junto com o baixo, forma a "cozinha rítmica" de uma banda. Com o passar do tempo e a evolução da tecnologia, novos modelos foram surgindo, cada vez mais customizados aos bateristas, de modo que cada um possa desenvolver seu estilo sem limites de composição de peças, afinação, recursos e etc.. É claro que para a de música mais rockeira, mais pesada, isso se encaixa como uma luva, uma vez que nesse estilo estão (na minha opinião) os maiores talentos do mundo no instrumento. Entretanto, podemos encontrar também músicos excepcionais em outros estilos, como o Jazz, onde o improviso impera e há necessidade de muita técnica e domínio. Ainda não tenho uma, mas um dia terei! Enquanto isso, mostro quais são meus heróis particulares, com links em cada um deles para apresentações dos caras:


Dave Lombardo (Slayer) - É um dos bateristas que considero "bonitos de se ver tocar", pois tem uma pegada incrível e simplesmente bate sem dó, bem de acordo o Thrash porrada do Slayer. Considero bonito ve-lo tocar porque Dave tem um estilo de agitar e tocar sem olhar para as peças, mas com extrema precisão e rapidez, principalmente nas viradas, que são de matar. Além disso, Dave é um mestre dos bumblos duplos e aplica isso com maestria nas músicas do Slayer (além dos diversos projetos, paralelos ou não, de que já participou). Recentemente, Dave substituiu as pressas Lars Ulrich, do Metallica, quando este passou mal bem antes do início de um show. Dave tocou as 2 músicas iniciais e Joey Jordison (Slipknot) o restante do show.
Vídeo: http://br.youtube.com/watch?v=vQpIpy1xU74 (Solo em clínica de bateria)


Mike Portnoy (Dream Theater) - Esse eu considero um monstro tocando. Mike é detentor de uma técnica absurda, um verdadeiro talento da bateria. Para se ter uma idéia, sua maior referência é Neil Peart do Rush (esse já é uma figura consagrada e dispensa comentários). A técnica de Portnoy é, para mim, o guia do som do Dream Theater, uma vez que ele consegue unir, em meio a uma quebradeira infernal (traduzindo: seguidas mudanças de ritmo) todas as variáveis percursivas que a bateria lhe permite. Não é preciso nem mencionar que Mike utiliza um Kit monstruoso ao vivo (tal qual Neil Peart) e dá simplesmente um show a parte. Ainda mais nas longas apresentações da banda, que têm uma média de 3 horas de duração.
Vídeo: http://br.youtube.com/watch?v=TCF2Tst-ohw (Solo em clínica de bateria)


Gene Hoglan (Dark Angel) - Gene é um caso engraçado, porque literalmente podemos dizer que ele é um "grande baterista": o cara, além de alto, é bem gordo! Independente do tamanho do Kit, o tamanho de Gene não permite que ele suma atrás dele! Brincadeiras a parte, o tamanho de Gene talvez seja o seu maior trunfo, pois parece facilitar seu alcance e agilidade no instrumento. Gene ficou conhecido com o Thrash ultra violento do Dark Angel e o Death Metal ultra técnico do Death, entre outras bandas. Sua rapidez e precisão nos bumbos atrelada a sua destreza nas partes mais complexas são impressionantes e o gabaritam como um dos grandes (ops!) nomes do instrumento.
Vídeo: http://br.youtube.com/watch?v=0kgorpAvXAE (Como não encontrei vídeos de solo do Gene, coloco aqui ele ao vivo com o Dark Angel tocando a faixa "Darkness Descends/The Death of Innocence")


Igor Cavalera (Sepultura) - Em termos de Brasil, ainda está para surgir alguém que faça frente a Igor Cavalera. Sua fama foi construída junto com a do Sepultura, simplesmente a banda nacional de rock com o maior reconhecimento mundial até hoje. Vejo Igor como um Dave Lombardo brasileiro, aliando técnica e força incríveis. Responsável pelo peso percurssivo dos momentos mais "batuqueiros" do Sepultura, quando este começou a imcoporar sons regionais ao Thrash da banda (que culminou no album "Roots"), Igor sempre demonstrou uma evolução absurda a cada disco, sem perda de qualidade. Atualmente fora do Sepultura, Igor optou por se tornar DJ, mas já está retornando ao Metal em uma banda com seu irmão Max (Soulfly), ainda sem nome definido.
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=KFiy03ohCLk (Ao vivo com o Sepultura)


Nicko Mcbrain (Iron Maiden) - Nicko é batera da maior banda de Heavy Metal do planeta, o Iron Maiden, nome esse que até que não conhece patavinas de Rock conhece. Nicko, além de ótimo músico, tem algumas particularidades: não usa dois bumbos (Diz que já tem trabalho suficiente com um só), mas trabalha tão bem com apenas um que temos a impressão de que ele usa os dois! Além disso, a organização do Kit do Nicko é curiosa, pois ele usa os tons e as caixas quase na horizontal, de frente para si (ao contrário de mike Bordin, ex-Faith No More, que os usa praticamente em pé), com as peças bastante próximas. Independente disto, os anos de experiência conferiram a Nicko habilidade e precisão que são bastante úteis nas músicas do Iron Maiden, principalmente nesta recente fase mais progressiva do grupo.
Vídeo: http://br.youtube.com/watch?v=CgrquMycHGU&mode=related&search= (Vídeo Aula)


Pete Sandoval (Morbid Angel) - O Death Metal é um estilo que não exige apenas força e velocidade. Não basta apenas utilizar batidas 1x1 na velocidade da luz para ser considerado bom. Neste estilo, um dos maiores nomes é o de Pete Sandoval, coincidente baterista de uma das maiores bandas do estilo, o Morbid Angel. Em meio ao caos sonoro do grupo, Pete consegue inserir uma precisão incrível, mesclando bumbos ultra rápidos com sequências alternadas, mostrando um completo domínio do instrumento. Além disso, Pete é considerado o pai do "Blast Beat" (a citada batida 1x1 - 1 na caixa, 1 no prato de condução ou contra tempo - mas com uso dos dois bumbos simultaneamente). Por estas razões, não é a toa que Pete é considerado uma influência para muitos bateras do estilo.
Vídeo: http://br.youtube.com/watch?v=Ewo-gFtbUG4 (Ao vivo com o Morbid Angel tocando a faixa "Maze of Torment", porém com câmera exclusiva nele)